<META content="MSHTML 6.00.2900.2604" name=GENERATOR><!-- --><style type="text/css">@import url(https://www.blogger.com/static/v1/v-css/navbar/3334278262-classic.css); div.b-mobile {display:none;} </style> </HEAD><BODY><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d8940721423393911285\x26blogName\x3dCoisas+de+uma+Chef\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://coisasdeumachef.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_BR\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://coisasdeumachef.blogspot.com/\x26vt\x3d8704643840310654996', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
terça-feira, 25 de maio de 2010
Petra Weiss Bier com Cuzcuz Marroquino




Aos pouquinhos tenho me aventurado a conhecer um pouco mais do universo das cervejas.
E nesta brincadeira deliciosamente apaixonante, no último final de semana decidi experimentar a Petra Weiss Bier.

Por muito tempo, as cervejas à base de trigo, conhecidas como Weiss Bier, foram de consumo exclusivo da nobreza alemã, principalmente na região da Baviera, no sudeste da Alemanha. Séculos depois, as Weiss Bier conquistaram o mundo.

A Petra Weiss Bier é uma cerveja de alta fermentação e sabor refinado,coloração amarelo-ouro mais opaca devido às leveduras em suspensão e apresenta boa conjugação de aroma e sabor, com acentuada presença de lúpulo e especiarias.

No aroma, um leve adocicado que lembra banana, um pouco de malte. No sabor, um frutado, malte,baixo amargor e um final com leve percepção do álcool.

Destaca-se no copo: amarelo ouro, intenso, quase laranja, altamente opaco com partículas visivelmente suspensas, e um creme absurdamente cremoso, denso, persistente, ocupando 1/3 do copo. LMuito linda por sinal!

Convém ainda ressalvar que, como em quase tudo o que envolve cerveja, nada é muito científico. Como tal, harmonizar cerveja e comida não é propriamente uma ciência exata, pelo que cada vez que se experimentam diferentes estilos de cerveja com diferentes receitas, podemos ser surpreendidos por novas possibilidades que surgem.

Por isso achei que a mesma se harmonizaria bem com o meu cardápio para o almoço (Cuzcuz Marroquino e pernil de vitela).E realmente, a combinação foi aprovada.

Abaixo, as receitas usadas.





Cuscuz marroquino


Ingredientes

1 xícara (chá) de cuscuz marroquino (semolina)
1 xícara (chá) de caldo de legumes
1 colher (sopa) de manteiga
1 colher (chá) cebola em cubos
1 colher (sobremesa) de uvas passas
1 colher (sobremesa) de nozes processadas
Sal e pimenta a gosto
Salsa desidratada a gosto
1 colher (sopa) de suco de limão

Preparo

Em um recipiente hidratar o cuscuz com o caldo de legumes quente e deixar descansar por cerca de 10 minutos.
Em uma panela colocar a manteiga e refogar a cebola. Adicionar as uvas passas e as nozes. Misturar no refogado a semolina já hidratada.
Temperar com sal e pimenta. Finalizar com a salsa, o suco de limão e servir em seguida.

Obs:Precisei adaptar a receita acima para 8 pessoas.



Pernil de vitela assado

Ingredientes

1 pernil de vitela de 6 a 7 1/2 kg
2 dentes de alho amassados
1 colher (chá) de pimenta-do-reino
2 cebolas cortadas em rodelas
1 xícara (chá) de vinho madeira ou xerez
1 xícara (chá) de caldo de carne

Modo de preparo

Esfregue o pernil de vitela com o alho amassado e a pimenta-do-reino.
Preaqueça o forno em temperatura média (170C).
Numa assadeira, espalhe as rodelas de cebola em uma só camada.
Coloque o pernil, com a parte gordurosa virada para cima, sobre a camada de cebolas.
Misture o vinho e o caldo de carne e despeje sobre o pernil.
Asse calculando 24 minutos por quilo.
Enquanto o pernil estiver assando, regue-o de vez em quando com o molho da assadeira.
Se as cebolas começarem a escurecer, junte um pouco de água.
Quando o pernil ficar macio, coloque-o sobre uma travessa de servir aquecida.
Passe o molho que ficou na assadeira por uma peneira e junte um pouco mais de caldo de carne, caso tenha ficado grosso.
onha em uma molheira e leve à mesa para acompanhar o pernil.

Marcadores:








sábado, 22 de maio de 2010
Almocinho Comfort Food de sábado



Família é tudo na vida! A minha é muito pequenininha, (apenas eu, meu filho, minha filha e meu bebezinho Rick) mas é a MINHA FAMÍLIA!!!! E como eu os amo e me sinto amada por eles! Sonho em ver a família crescer...mas tudo ao seu tempo!

Bem...sábado pra mim tem cheiro,sabor e cor de família! Me dedico inteiramente aos meus,e isto inclui principalmente a cozinha, é claro! Já acordo pensando no mercado, na feira, na cervejinha que precisa estar gelada... Nada de restaurante! Sábado nossa casa é o melhor lugar do mundo!

Adoro chegar das compras sem pressa, abrir uma cervejinha gelada e na cozinha começar a jogar conversa fora com os filhos. Coisa bem de mineiro mesmo. Enquanto o almoço não sai ( e normalmene isso só acontece por volta das 16 horas) um petisco aqui...outro ali...

O cardápio de sábado precisa ser simples. Mas nem por isso pouco saboroso. Precisa resgatar o sabor da minha infância, quando então minha mãe repetia o ritual sabático que hoje é meu.

E neste clima saboroso e intimista o dia passa. E o coração fica aquecido até o próximo sábado quando tudo se repete.

Abaixo, um cardápio com cara de sábado pra vocês!




Saladinha de agrião

Ingredientes:

2 punhados de agrião

1 xícara (chá) de broto de alfafa

1 colher (chá) de suco de limão

4 colheres (sopa) de creme de leite

1 colher (chá) de raiz-forte fresca

sal a gosto

Modo de Preparo
1. Lave e seque bem as folhas de agrião e o broto de alfafa.

2. Numa tigelinha, bata o suco de limão, a raiz-forte e o creme de leite com um batedor de arame até obter um molho liso. Tempere com uma pitada de sal.

Montagem

Num prato, disponha as folhas de agrião. Espalhe montinhos de broto de alfafa. Regue a salada com o molho e sirva imediatamente.





Costela de Boi Com Cerveja


Ingredientes
- 2 kg de costela de boi limpa e cortada em pedaços
- 1 cebola grande ralada
- 5 dentes de alho amassados
- 1 envelope de caldo de carne em pó
- 1 colher (sopa) de manjericão seco
- 1 colher (chá) de noz-moscada ralada
- 1 colher (sopa) de molho de pimenta vermelha
- suco de 1 limão
- 1 colher (sopa) de óleo
- sal a gosto

- 4 tomates grandes sem pele e sem sementes cortados em
cubos
- 2 latas de cerveja branca

- 500 g de batatas
- 2 cebolas grandes cortadas em pétalas
- 1 xícara (chá) de salsa picadinha
- 1 xícara (chá) de cebolinha verde picada

Modo de Preparo

1º - Numa tigela tempere a costela de boi com cebola, alho, caldo
de carne em pó, manjericão seco, noz-moscada, molho de pimenta
vermelha, suco de limão, óleo e sal a gosto. Deixe marinar por 2
horas.

2º - Numa panela de pressão coloque a carne marinada e adicione
os tomates e a cerveja branca. Cozinhe em fogo médio na pressão
por 40 minutos ou até que a carne esteja macia.

3º - Acrescente as batatas, as cebolas em pétalas,salsa picadinha e
cebolinha verde. Corrija o sal e, se necessário, acrescente um pouco mais de água quente, apenas o suficiente para cobrir as batatas, e cozinhe por mais uns 8 a 10
minutos na pressão. Retire imediatamente a pressão e sirva
acompanhado de arroz branco e uma salada de agrião.


Rendimento: 6 porções




Brigadeirão

Ingredientes:

-1 lata de creme de leite sem soro
-1 xícara (chá) de chocolate granulado para decorar
-manteiga para untar
-3 ovos
-1 colher (sopa) de manteiga em temperatura ambiente
-4 colheres (sopa) de açúcar
-1 xícara (chá) de chocolate em pó solúvel
-1 lata de leite condensado


Preparo:

Bata no liqüidificador o leite condensado, o creme de leite, o chocolate em pó, o açúcar, a manteiga e os ovos. Quando ficar homogêneo, despeje em uma fôrma com furo central (19cm de diâmetro) untada com manteiga.
Cubra com papel de alumínio e asse em banho-maria em forno médio (180°C) por cerca de 1 hora e 30 minutos.
Desenforme ainda morno e decore toda a superfície com o chocolate granulado.
Leve à geladeira por cerca de 4 horas.

Marcadores:








quarta-feira, 19 de maio de 2010
Alho poró




O alho-porro (português europeu) ou alho-poró (português brasileiro) é um vegetal que pertence à mesma família (Alliaceae) das cebolas e dos alhos.

Em vez de formar um bulbo arredondado, como a cebola, o alho-porá produz um longo cilindro de folhas encaixadas umas nas outras, esbranquiçadas na zona subterrânea, sendo esta a parte das folhas mais utilizada na culinária, ainda que a parte verde também possa ser utilizada, por exemplo, em sopas.





De sabor mais suave que a cebola, o alho-poró é muito usado na culinária, sendo um ingrediente da famosa vichyssoise. Podem também ser utilizados crus em saladas.

O alho-poró era já utilizado pelos antigos Egípcios, Gregos e Romanos que depois levaram o vegetal a diversas partes da Europa.

É um dos símbolos nacionais do País de Gales, fazendo parte dos rituais do dia de São David, quando é tradição os galeses envergarem a planta. De acordo com a mitologia do País de Gales, São David ordenou aos seus soldados galeses, que envergassem a planta nos seus elmos numa batalha contra os Saxões que teria ocorrido num campo de alhos-porós. É provável que esta história tenha sido concebida pelo poeta inglês Michael Drayton mas sabe-se que a planta é um símbolo deste povo desde épocas antigas. Por exemplo, Shakespeare refere-se a tradição de envergar o alho-porro na sua peça Henrique V, onde Henrique diz a Fluellen que está envergando o alho porro "for I am Welsh, you know, good countryman" ("porque sou galês, bem sabes, caro compatriota").


O cheirinho do alho-poró pra mim é inebriante...

Que tal testar com a saborosa receita abaixo?




Quiche de Alho-poró com catupiry

500g de farinha de trigo
250g de gordura hidrogenada ou manteiga
2 ovos inteiros
1 colher (sopa) de azeite
1 colher (café) de fermento em pó
1 colher (chá) de sal
água gelada (se necessário)

Aperte a gordura hidrogenada com a farinha, o azeite e os demais ingredientes, trabalhando com os dedos. Deixe a massa descansar 15 minutos. (se o dia estiver muito quente, o descanso é na geladeira). Faça uma bola de massa, espelhe na fôrma para não ficar muito grossa e corte o excesso.

Recheio:
2 xícaras de alho-poró picadinho
1 colher (sopa) de manteiga
1 copo de creme de leite
cebolinha verde picada
1 xícara de parmesão ralado
3 ovos
sal e pimenta
noz moscada ralada
catupiry

Refogue o alho-poró na manteiga, numa panela tampada, mexendo de vez em quando. Junte o sal, pimenta, cebolinha e noz moscada. Deixe esfriar. Junte o parmesão. Recheie o fundo da fôrma com o alho-poró frio. Distribua o catupiry. Espalhe em cima a cobertura do creme de leite com os ovos, uma pitada de pimenta e sal. Polvilhe com parmesão. Leve ao forno.

Marcadores: ,








segunda-feira, 17 de maio de 2010
Vem kafta comigo



Saiu ontem o resultado da décima primeira edição do Comida di Buteco BH.A disputa foi acirrada! Aliás, nenhuma cidade valoriza tanto a cozinha de buteco quanto Belo Horizonte.O motivo é óbvio:somos a Capital Mundial dos Botecos.

Este ano não pude percorrer todos os butecos como gostaria. Mas dos que visitei, um me chamou a atenção em particular. O Boteco da Carne:uma casa de carnes que virou boteco!Aliás, ir ao Boteco da Carne é sempre uma alegria. O ambiente descontraído e a forma de apresentação primorosa dos pratos, já valem a ida. Sem falar que nunca pedi ali uma comida de buteco da qual não gostasse!

O prato concorrente este ano foi o "Vem kafta comigo";Kafta à milanesa no espetinho, acompanhada de molho de alho especial, jiló japonês, batata frita com ervas e pétalas de cebola ao creme de leite e parmesão

O prato tem uma apresentação cuidadosa,como é caracerística do bar, com seis kaftas empanadas, acompanhadas de uma surpreendente conserva agridoce de jiló , creme de ervas, batatas fritas e cebolas assadas com creme. Carne bem temperada, fritura sequinha, trem bão sô! Só a kafta com o jiló já seria bom demais!!!!

E muito me alegrei ao saber que o prato subiu ao pódium no segundo lugar! Merecido!


No ano passado também o Boteco da Carne fez bonito com o seu Fondue Mineiro. Deixo abaixo a receita pra quem quiser abrir uma cerveja e...





Fondue Mineiro - Boteco da Carne

Angu
- 500ml de água
- 1 xícara de fubá
- 1 tablete de caldo de carne
- 100g de calabresa desidratada
- sal a gosto
- alho a gosto
- molho de pimenta vermelha a gosto

Dissolva o fubá em água fria e aqueça a mistura em fogo baixo. Deixe ferver por aproximadamente 25 minutos. Coloque o sal, a calabresa, o alho, o caldo de carne e a pimenta. Deixe no fogo por mais 5 minutos.

Linguiça
- 1/2 kg de liguiça suína defumada em gomos
- 2 xícaras de água
- Molho de pimenta vermelha a gosto
- Sal a gosto

Separe cada um dos gomos da linguiça e lave-os. Em uma panela, cubra a linguiça com a água e deixe ferver. Acrescente o molho de pimenta e o sal. Deixe ferver por 40 minutos (se for preciso, acrescente mais água).

Copa lombo defumado
- 1/2 kg de lombo defumado (ou cabeça de lombo)
- 3 colheres de sopa de azeite
- Sal a gosto

Corte o lombo em cubos. Em uma frigideira, aqueça o azeite e acrescente o lombo e o sal. Frite até que a carne fique dourada.

Almôndega
- 1/2kg de miolo de acém
- Sal e alho a gosto
- Óleo

Tempere o acém com sal e alho e deixe-o na geladeira por uma hora. Modele as almôndegas com cerca de 20gr. cada uma. Em uma frigideira, frite as almôndegas até que elas fiquem coradas.

Molho de tomate
- 1 cebola picada ou ralada
- Sal e alho a gosto
- 1 lata de polpa de tomate
- 1 colher de sopa de azeite
- 1 colher de sopa de açúcar

Misture todos os ingredientes e deixe ferver por 20 minutos. Acrescente as almôndegas e deixe ferver por 5 minutos.

Bar Boteco da Carne
Rua São Romão, 56 - São Pedro
Belo Horizonte - MG
Tel: (31) 2555-8480

Marcadores:








Cheiro de café no ar...



Nada como acordar e sentir no ar o cheirinho de café... E foi assim que meu dia começou hoje. Com cheiro de café no ar!

Sou apaixonada por um bom café. E detalhe; de coador de pano, sem açúcar ou qualquer outra coisa que venha estragar o seu sabor.


Hábito mantido por gerações, o tradicional cafezinho é líder absoluto na preferência dos brasileiros. Mesmo com a valorização do café espresso, dentro e fora de casa, a cultura do café coado continua em alta.Não é só no Brasil que esse método de preparo é um costume secular. Na maioria dos países do globo o café coado é o método de preparo por excelência.

O coador de pano é um símbolo do café artesanal e é usado na maioria das casas brasileiras, inclusive na minha. Este método de preparo produz um café de qualidade, desde que alguns cuidados sejam tomados.

Para preparar um bom cafezinho,deve-se seguir algumas dicas. A primeira é utilizar grãos de qualidade. Depois, prestar atenção à moagem do grão, que não pode ser nem muito grossa, para a água não passar rapidamente pelo pó, nem fina demais, para não entupir o filtro.

Outro parâmetro importante é a temperatura da água. Se muito baixa, deixa de extrair o máximo de sabor da bebida. Assim, ela não deve ultrapassar os 96ºC. Uma dica é olhar no fundo da chaleira: quando surgirem bolhas grandes, a água está na temperatura certa. A água também deve ser filtrada ou mineral. Por fim, vale experimentar deixar o café esfriar um pouco na xícara ou num jarro de vidro, naturalmente. Cafés de grande qualidade ficam mais gostosos quando mais frios, pois percebemos melhor seus sabores.




Dez dicas para fazer um bom café coado

- Use sempre água filtrada ou mineral
- Não deixe a água ferver, pois a temperatura da água afeta a extração do café. Ela deve estar aquecida, e não ultrapassar 96ºC
- Prepare sempre o café na hora de tomá-lo, evitando guardá-lo pronto
- Utilize 5 ou 6 colheres de sopa para cada litro de água
- Não aperte o pó de café dentro do filtro, e distribua-o uniformemente
- Despeje um pouco de água para hidratar o café e expandi-lo. Depois, despeje-a aos poucos, de preferência nas bordas, o que movimenta o pó e permite uma extração mais uniforme
- Se utilizar coador de pano, lave-o apenas com água
- Guarde o pó de café na embalagem original e em recipiente hermeticamente fechado, para retardar o processo de oxidação
- Despreze os últimos 5% da filtragem, onde a concentração de cafeína é maior e, portanto, torna o café mais amargo
- Moa o café na hora, para melhor manter seus aromas

(Publicada na edição de abril da revista Menu)

Pra mim um cafezinho pela manhã é o suficiente! Mas se tiver um pãozinho de queijo saindo do forno, é claro que não vou brigar! Uma manteiga da roça também poderá ser bem vinda! Uma broinha carioca...hum...melhor deixar para um outro post!

Marcadores: ,








sexta-feira, 14 de maio de 2010
Priprioca



O Twitter pra mim tem sido fonte de grandes amizades e muito aprendizado.Usarei para descrever esta experiência mágica, palavras de @realwbonner "O twitter é um universo absurdamente cativante. Quem não se viciou que me desminta. E eu mergulhei nisso intensamente. Salto ornamental." Eu também tio!

Um dos grandes chefs que sigo é o já amigo Diego Lozano (@Chefdiegolozano), apaixonado por chocolates e grande mestre nesta área.Dia desses, (já fazem alguns dias) li o seguinte twitte dele:"@Chefdiegolozano Comerei, sozinho, um ovo de 05kg de Priprioca hj! Viva a Priprioca!!!! "

E eu na minha humilde ignorância fiquei pensando...Priprioca...Priprioca... o que seria Priprioca?! Nada como pesquisar um pouquinho e tentar descobrir!

Uma boa definição seria:"Priprioca, o cheiro do Pará que encantou o Brasil"

A Priprioca é uma planta que constitui o principal ingrediente dos encantados banhos de cheiro usados pelos paraenses nas festas de São João e nas comemorações de final de ano.

A palavra pode soar estranha, mas a planta originária da Amazônia começa a ser incorporada a algumas áreas, como perfumaria e culinária. Já é possível encontrar, por exemplo, em cosméticos da Natura e nos pratos sofisticados do estrelado chef Alex Atala.

Priprioca é o nome vulgar. A denominação popular engloba, na verdade, três espécies: Cyperus articulatus, Cyperus prolixus e Cyperus rotundus, as duas últimas popularmente conhecidas como pripriocão e priprioquinha, respectivamente.


É embaixo da terra que se desenvolve a parte mais cobiçada da priprioca, os tubérculos, estruturas subterrâneas que apresentam o aroma agradável que chamou a atenção não só da população paraense e da ciência, mas também de grandes empresas de cosméticos, como a Natura.

Além de ter um perfume denominado 'Priprioca', a empresa também usa essa planta na composição de outros produtos. Mas quem quiser usufruir do cheiro bom dessa planta aromática sem onerar o bolso pode procurar o mercado do Ver-O-Peso, cartão postal de Belém, ou lojas de produtos regionais, onde sachês – pequenos envelopes de papel que trazem o tubérculo da priprioca em forma de pó - são vendidos a preços que podem variar entre R$ 2 ou R$ 3.



O óleo essencial extraído da raiz da priprioca faz parte do palete de 12 óleos essenciais e aromáticos da empresa Natura. Ele compõe, com outros óleos, a assinatura olfativa da marca. Na linha Ekos Priprioca há os seguintes produtos: Colônia Essência do Brasil, Água de Banho, Desodorante Corporal, Óleo para Corpo, Hidratante para Banho, Sabonete em Barra e Perfume do Brasil.

A Natura escolheu a priprioca para uma de suas linhas porque é extraída da biodiversidade brasileira. Segundo a empresa, "seu perfume é marcante e inusitado, um aroma tão único e fascinante que reúne, ao mesmo tempo, a riqueza da nossa mata e a força da tradição dos povos da floresta".

A priprioca utilizada pela Natura é extraída por um grupo de agricultores cooperativados do Pará. A extração é feita de forma sustentável através de um processo de aproximação, desenvolvimento e relacionamento com comunidades extrativistas.



Além de evocar boas energias para a festa de São João ou para o ano que entra por meio do banho, a priprioca também apresenta efeitos analgésicos e anti-bacterianos, dentre outros, que, segundo relatos científicos, podem auxiliar no alívio de dores ou baixar a febre e, dessa forma, ajudar qualquer doente a levantar da cama.

Esse vegetal também é utilizado, em menor escala, para fins decorativos: a "palha" da priprioca - como é conhecido, no artesanato o escapo floral que constitui a parte aérea da espécie - é reaproveitada pelo artesão Josué Meireles no acabamento de peças decorativas como vasos, cinzeiros e caixinhas de madeira.

Se pelo Brasil afora a priprioca é pouco conhecida, no Pará ela representa uma importante fonte de renda para muitas famílias de agricultores e feirantes, como os que trabalham no mercado do Ver-O-Peso, em Belém.

E faz pouco tempo, a Priprioca saiu da mata para mesas sofisticadas.O premiado chef Alex Atala, proprietário dos restaurantes D.O.M e Dalva e Dito, em São Paulo, descobriu a priprioca durante suas viagens à Amazônia. "Seu odor fica entre aromas de ervas secas e madeiras e remete ao patchouli." Alex acrescentou a planta em suas criações gastronômicas."Incluí a priprioca pela capacidade que este aroma tem de ser aplicado em doces, salgados e carnes como agente aromatizador. Sempre tendo em vista que o sabor é o aroma líquido." O chef adquire a planta nos mercados da Amazônia, ainda o único lugar de comercialização in natura.

Para isso, ele explica que há dois processos para extrair o aroma da priprioca. Pode ficar 15 dias no álcool de cereais - um processo rudimentar, dos mais antigos de extração de aromas. E também por destilação a frio - um processo laboratorial. O chef usa o primeiro processo para garantir o aroma da planta em duas sobremesas, uma no D.O.M. e outra no Dalva e Dito, e em dos pratos dos menus degustação do D.O.M.

Mas não é só Alex Atala que em usado a Priprioca não! O Chef Diego Losano, aquele que mencionei no início do post, tem incrementado seus magníficos chocolates com a mesma. Fico imaginando a delícia que deve ser!


E como não podia deixar de ser, deixo aqui uma receitinha saborosa (acredito eu) com a Priprioca!

Pudim de leite com priprioca



Para o caramelo
1/2 xícara de açúcar
1/2 xícara de água

Para o pudim
500 ml de leite integral
½ xícara de açúcar
2 batatinhas de priprioca descascadas e raladas ou picadas finamente
4 ovos grandes

Ligue o forno a 200 ºC.
Prepare o caramelo: coloque numa panela o açúcar com a água, leve ao fogo e vá mexendo devagar até derreter e formar um xarope grosso, cor de caramelo. Distribua esta calda entre 8 forminhas de alumínio para pudim. Coloque-as sobre uma forma e reserve. Reserve também a panela de caramelo para usar no próximo passo. Para o pudim: coloque metade do leite, o açúcar e a priprioca na panela "suja" de caramelo e leve ao fogo. Espere ferver. Desligue o fogo, tampe a panela e deixe em infusão por 10 minutos. Enquanto isto, misture bem com um garfo os ovos com o leite restante. Junte o leite com priprioca e misture bem. Passe tudo por peneira e distribua a mistura entre as forminhas carameladas e leve ao forno pré-aquecido. Despeje água quente na forma, até a metade da altura das forminhas. Feche o forno e deixe assar em banho-maria por cerca de 30 minutos ou até que fiquem com consistência gelatinosa. Espere esfriar e gelar antes de desenformar. Para ressaltar o perfume, esfregue no prato um pedaço de priprioca. Para desenformar, passe uma faca pequena nas laterais do pudim para soltá-lo.

Rende 8 porções

Site Come-se

E agora fica aqui uma dica...

Já provou a Caipirinha de Priprioca do Atala?



Ela leva maracujá, hortelã, limão-cravo e xarope de priprioca. De verdade meeeesmo, o sabor da planta é muito sutil (quase imperceptível para a maioria das pessoas) mas o resultado final é uma bebida refrescante e extremamente aromática.
Vá ao Dalva e Dito e experimente. Nunca se sabe quando a priprioca vai aparecer de novo… A bebida com o petisco harmonizado (priprioca–mandioca frita; limão-galego–pastéis de carne; Jabuticaba—empadas de bobó de camarão) custa R$ 18.

Dalva e Dito: R. Padre João Manuel, 1115, Jardins

Marcadores: ,








quinta-feira, 13 de maio de 2010
Futebol, cerveja e pizza ou...O dia que o Mineirão calou



Dia desses postei aqui sobre o simpático presente que ganhei da Mamãe Bebidas pelo dia das mães. Pra quem ama cerveja como eu, não podia ter presente melhor! E é claro que o mimo merecia um momento especial pra ser apreciado...

Como a combinação cerveja, pizza e futebol é uma das minhas preferidas, escolhi o dia de ontem para degustar meus presentes! Explico...ontem estava friozinho...a noite pedia uma cervejinha...e eu estava a fim de secar o Cruzeiro em mais um dos jogos da Liberadores! Uma uma Pizza Marguerita iria harmonizar perfeitamente com o sabor da X Wäls e da BrouCzech que ganhei.

Enquanto as cervejas gelavam, fui preparar minha Marguerita.



Antes, ida à feira para buscar ingredientes frescos, como manda a tradição culinária italiana.Ah! O manjericão foi colhido na janela do meu quarto...

Confesso que minha pizza é especial. Se quiser testar, aqui vai a receita:

Ingredientes da massa:

1 kg farinha de trigo sem fermento
100 ml azeite extra virgem
100 g fermento biológico
1 gema
30 g açúcar
20 g sal
500 ml de água gelada (gelada mesmo!)

Como fazer:

Dissolva o fermento no azeite.
Misture tudo,sendo a farinha aos poucos.
Separe "bolas" de 200g e coloque para descansar por 2 horas.

Pode trocar a água gelada por cerveja, ou meio a meio....

Ingredientes para a cobertura:

4 tomates pomodoro
1 colher (sopa) de óleo de canola
1 pitada de sal
400g de mussarela ralada
Folhas de manjericão fresco

Preparo:

Bata no liquidificador os tomates inteiros, o óleo de canola e o sal. Cubra a massa da pizza com essa mistura. Espalhe a mussarela por cima e leve ao forno. Se você tiver a sorte de ter um forno a lenha em casa, saiba que apenas 2 minutos são suficientes. No forno a gás ou elétrico, o tempo será um pouco maior.
Quando a borda da massa estiver dourada, tire a pizza do forno, espalhe folhas de manjericão fresco e um pouco de azeite de oliva de boa qualidade.

Pizza pronta,Mineirão lotado, hora de abrir as cervejas.E começar a secar as Marias, é claro.




A X Wäls é uma cerveja lager suave, leve, de apenas 4% de teor alcoólico, mas com muita personalidade. E o que impressiona na X Wäls é justamente tanta personalidade numa cerveja concebida para ser “light”.

Ao ser colocada no copo, antes mesmo que se possa avaliar com maior atenção a cor dourada clara e a espuma abundante, densa e persistente, o que fica evidente são os aromas de lúpulo, deliciosamente cítricos e florais. Mas o eu que não podia esperar era uma lupulagem tão presente numa cerveja tão leve, e ainda assim em equilíbrio com o resto do conjunto. Graças ao processo de dry-hopping, o frescor do lúpulo impressiona. Mas não é somente ele que chama a atenção: os sabores de pão e biscoito do malte fazem um casamento perfeito com o frescor do lúpulo, dando equilíbrio ao conjunto. E, o que é mais interessante: no final, é uma cerveja leve, de baixo corpo, refrescante, de altíssima drinkability (fico imaginando ela na versão chope, é uma cerveja que qualquer um beberia vários litros sem fazer a mínima força…) e cujos sabores – extremamente agradáveis, pois se tratam dos sabores de malte e lúpulo, e não aqueles off flavors e aquela acidez horrorosa típicas “daquelas cervejas” – persistem na boca agradavelmente até o próximo gole.






A BrouCzech, uma bohemian pilsen produzida pela cervejaria Tcheca Nova Paka é perfeita para pessoas que apreciam bebidas deliciosamente amargas. Seu sabor levemente doce traz consigo uma fina carga de amargor e uma sensação maltada ao paladar, o que faz com que seu gosto dure muito mais tempo. Também oferece aroma de notas florais, lúpulo e malte em 8% de teor alcoólico em um líquido brilhante de coloração dourado escuto e cobre.

Enquanto isso, a bola rolava no Mineirão... E rolou bacana!!!




O São Paulo venceu por 2 a 0 o Cruzeiro, em jogo válido pela Taça Libertadores, na presença de mais de 48 mil torcedores. E eu pude dormir em paz! As Marias da minha rua (e são muitas e afetadas) ficaram caladas!

Mas o melhor ainda estava por vir! Ao acordar hoje, entro no Twitter e vejo o TT Mundial. "Mineirão calou".

No Twitter, os internautas brasileiros, especialmente os são-paulinos, comentavam a vitória do time paulista fora de casa. Os estrangeiros, em contrapartida, questionavam a presença do tópico no topo da lista mundial. “What’s Mineirao calou?" (O que é Mineirão calou?), perguntavam. Alguns brasileiros chegaram a explicar em inglês aos estrangeiros qual era o motivo do tópico. E eu permaneço rindo até agora...

Marcadores:








Dia do Chef de Cozinha



Minha homenagem aos Chefs do Brasil e de maneira muito especial aos Gastrotwiteiros!!!

Cozinhar é uma das mais antigas atividades humanas, surgida por volta de sete mil anos atrás, quando o homem adquiriu meios seguros de obter e dominar o fogo. Já o ofício de cozinheiro, não se sabe exatamente quando surgiu, mas relatos de suntuosos banquetes na corte da Mesopotâmia por volta de 3000 a.C., por exemplo, confirmam que essa é uma profissão antiqüíssima e, também, mostram que a comida sempre foi um importante elemento nas relações sociais e de poder.

Justamente por isso, os cozinheiros, que através de sua arte, contribuíam para o aumento do prestígio e do poder daqueles a quem serviam, acabavam por conquistar, eles próprios, prestígio e regalias que os distinguiam entre os seus pares. Assim, portanto, não é de hoje que ser chef de cozinha é algo glamoroso e muito desejado.

Mas, a História, e as estórias, tendem a privilegiar o lado mais reluzente das trajetórias, relegando a um segundo plano as pedras do caminho. É verdade que a profissão de cozinheiro pode trazer prestígio e fortuna, temos muitos exemplos disso tanto no passado quanto no presente. Mas, como acontece nos esportes, para cada Ronaldo Fenômeno, existem milhares de jogadores de futebol absolutamente anônimos, muitos deles mal conseguindo sobreviver da profissão. O que os move é a paixão pela bola, o gostar de jogar futebol.

Na cozinha não é diferente, muito pelo contrário. Ao escolher a profissão de cozinheiro é preciso ter em mente que se trata de uma carreira que, como no exército, possui graus hierárquicos a serem conquistados e que, para se atingir o topo dessa hierarquia, é preciso muito esforço, dedicação, aprendizagem, treino e, sobretudo, gostar do que se faz - e gostar muito.

Mesmo, assim, isso não basta. É preciso, ainda, possuir características como criatividade, espírito de liderança, organização, capacidade de ensinar, ousadia e muita personalidade para se chegar lá. Nem todo soldado se torna general. Nem todo cozinheiro chega a chef de cozinha. Não há curso que substitua a prática "de campo" nem pro soldado nem pro cozinheiro. Mas, como no exército, cada elemento tem seu papel e sua importância dentro do grupo e sem o trabalho de todos não há resultado possível.

Hoje, no Brasil, a gastronomia vive um momento efervescente. Ao longo das últimas duas décadas, o cenário gastronômico nacional se transformou completamente. A mudança mais sensível, e que serviu de mola propulsora para todas as outras, foi, justamente, a profissionalização do setor. Começou, timidamente, com a chegada de chefs estrangeiros no começo dos anos 80, fortaleceu-se com a abertura das importações no começo dos anos 90 e consolidou-se com a fundação da Associação Brasileira da Alta Gastronomia - ABAGA, em 1995, cujo empenho, desde o início, embasou-se em dois pilares complementares, a formação e a valorização do profissional da cozinha.

Por Virgínia Brandão

Marcadores:








segunda-feira, 10 de maio de 2010
Atitude super simpática



Na véspera do Dia das Mães fui surpreendida com este presentinho super simpático da Mamãe Bebidas.

Pra quem não sabe, a loja é o melhor lugar pra se comprar cerveja em BH. Serviço,variedade,com preço competitivo.Três características que fazem dela a preferida por mim e muitos outros.

Em breve, novo post sobre as cervejas e receitinhas de harmonização com as mesmas.

Amei!!!! Obrigada Mamãe Bebidas!

Mamãe Bebidas
Avenida do Contorno, 1955, Floresta, 3213-9494. 8h/22h (seg. a dom.).
Tradicional telentrega de bebidas da cidade. Trabalha com cervejas, licores, vinhos e destilados. Também vende gelo em barra e carvão.

Marcadores: ,








Sálvia- Sabor apaixonante



Que eu sou apaixonada por ervas e especiarias, isto já não é novidade.Por isso tenho procurado postar aqui um pouquinho sobre estas porções mágicas que dão sabores tão especiais à minha cozinha.

Sou apaixonada pelo sabor da sálvia.Para quem ainda não a conhece, aqui vai um pouquinho sobre a mesma.

A sálvia é tida desde tempos imemoriais como a erva da longevidade. Quem tem sálvia em casa nunca envelhece, já dizia um velho provérbio chinês. Seu nome deriva da palavra latina salvere, que significa estar de boa saúde, curar. É uma ótima erva culinária também, mas é melhor não misturar com outras, pois como disse um cozinheiro : "Na grandiosa ópera da culinária, a sálvia representa a prima donna caprichosa, que se ofende por tudo e por nada, Gosta de ter o palco por sua conta."


Nome Científico:Salvia officinallis / Labiadas

Origem: De origem Mediterrânea, desde a costa sul da Espanha até Marselha e na Itália.

Partes usadas:Folhas e flores

Lendas e Mitos:Para os romanos era erva sagrada, cuja colheita era cercada de rituais. A crendice popular dá conta de que é uma das ervas das feiticeiras, já que protege contra feitiços. É também usada para compor o vaso das sete ervas de proteção. Ainda segundo a crença popular, toda pessoa deve ter um pé de sálvia plantado em casa, mas nunca pelo próprio dono da casa, é melhor pedir para alguém de fora.Dormir com folhas de sálvia sob o travesseiro torna os sonhos realidade.



Características e Cultivo:Arbusto rústico e sempre verde, vai de 30 a 75 cms de altura. Folhas inseridas aos pares, verde-acinzentadas, muitas vezes manchadas de amarelo, se forem mais velhas espessas e tomentosas, de cheiro intenso e penetrante. Flores bilabiadas, vão do branco ao lilás. O caule torna-se lenhoso a partir do segundo ano.Cultivada junto à arruda e orégano vai super bem; suporta a seca e terra areno-argilosa. Em épocas frias ou de muita chuva perde as folhas, e aproveita-se para fazer novas mudas a partir de estacas de galho. Planta companheira do alecrim, morango e cenoura. Clima frio com bastante sol.


Propriedades medicinais:Ajuda a fazer a digestão e é anti-séptica, fungicida e contém estrógeno. Ajuda a combater a diarréia. O chá é bom para gengivas inflamadas, aftas, dores de garganta e problemas de mucosas, além de aliviar diabetes e sintomas de menopausa. Diminui suor excessivo e é restauradora de energia, tendo poder tonificante sobre o fígado. Usada também para dores de ovário, icterícia, depressão, tremores, vertigens, impotência sexual.O chá das folhas e flores tem ação anti-séptica, anti-sudorífera, fungicida,estimulante da digestão e balsâmica; contém estrógeno. Não deve ser tomada em grandes doses por períodos muito longos.


Cosmética:Infusão é um bom adstringente para pele oleosa e escurescedor de cabelos. A infusão também é boa para combater a caspa e inflamações do couro cabeludo. Dentrifício caseiro para remover tártaro e clarear os dentes: Sal marinho e sálvia.

Utilização

* Uso caseiro: Pôr folhas secas de sálvia entre as roupas, para afastar insetos. 'Faz parte das ervas inseticidas( em infusão).
* Uso culinário: Para rechear aves, misturar com cebola. Cozinhar com carnes gordurosas (porco, pato e salsichas). Dá bom vinagre aromatizado e manteiga de ervas. Faz deliciosos pães. Substitui o louro na aromatização de carnes e cozidos, principalmente os gordurosos, podendo também ser usada para temperar patês de queijo e peixes. A manteiga aromatizada com sálvia dá um realce especial aos assados.
* Uso mágico: Onde o pé de sálvia cresce viçoso é porque a mulher manda na casa; considerada uma poderosa erva de proteção, afasta mau-olhado. Erva das feiticeiras, entra na composição de magias de proteção.


Efeitos colaterais: Não usar a erva em casos de insuficiência renal, durante a menstruação ou amamentação. Pode causar súbita elevação da pressão arterial. Não consumir em grandes quantidades ou por longos períodos de tempo consecutivos.

Voltando à cozinha,tem uma receita simples e saborosa onde a salvia dá um charme especial, que é uma das minhas preferidas:



Contra-Filé Grelhado com Talharim na Manteiga de Sálvia


Ingredientes:

- 300 gramas de contra-filé limpo
- 20 gramas de cogumelo paris
- 20 gramas de cogumelo shitake
- 100 ml de molho escuro reduzido (demi-glace)
- 50 ml manteiga clarificada
- 10 gramas sálvia fresca
- sal e pimenta
- 150 gramas de talharim pré-cozido
- um fio de óleo de soja

Modo de Preparo:

Temperar o contra-filé com sal e pimenta e grelhar na frigideira com mínimo de óleo. Resguardar aquecido. Fatiar os dois tipos de cogumelos e acrescentá-los ao molho escuro reduzido já aquecido. Aquecer a manteiga clarificada em frigideira anti-aderente com sálvia fatiada, escalfar o macarrão em água fervente e salteá-lo na manteiga de sálvia, temperar o macarrão com sal e pimenta.

Montagem:

-colocar a carne no lado esquerdo do prato
-cobrir com molho escuro e cogumelos
-"montar" o macarrão enrolado no garfo do lado direito
-cobrir com manteiga de sálvia

Decoração:
-decorar a borda no prato com vinagre aceto balsâmico reduzido.



Abaixo, um passo-a-passo de como clarificar a manteiga.



Manteiga clarificada

“Clarificar a manteiga” se faz ao aquecer a manteiga, sempre em fogo baixo (entre 40°C e 60°C) , para a separar a água e impurezas da gordura, permitindo que essa manteiga resista a temperaturas altas sem queimar e, assim, proporcione aroma e sabor ao(s) preparo(s).

É simples clarificar a manteiga: basta pegar a porção de manteiga (pode-se cortar em pedaços para agilizar o processo), sem sal, e levar ao fogo baixo até que derreta completamente – sempre tendo cuidado/atenção para não queimar (fácil identificar pela coloração caramelo que vai tomando). A medida que derrete formará uma espuma branca, com a parte amarela e líquida no meio e uma camada levemente densa ao fundo. Devemos retirar a espuma, com auxílio de escumadeira ou concha (que será descartada); retirar a parte líquida com cor dourada (manteiga clarificada em si – que reservaremos para utilizar) e descartar a parte densa e também de cor amarela que fica ao fundo. Sempre bom passar o líquido amarelo-dourado por um filtro ou peneira, para garantir uma melhor remoção dos resíduos.

Usa-se, então, esse líquido amarelo-dourado que e é a manteiga clarificada em si – ao esfriar ela se solidifica porém mantêm sua característica clarificada, ou seja, não será preciso refazer o processo de clarificação, basta retirar a porção desejada e utilizá-la (melhor usar no prazo de até uma semana – em geladeira,podendo ser congelada).

O vídeeo abaixo mostra de forma clara o processo. Você pode encontrar o mesmo aqui.

Marcadores: ,








sexta-feira, 7 de maio de 2010
Dicas Gloss de presentes para as mães



O misterioso Hugo Gloss (que começou sua "carreira" virtual como cover do personagem Christian Pior, do "Pânico") é sem dúvida o brasileiro mais badalado do Twitter. Virou uma celebridade da internet ao se tornar o queridinho das celebridades do mundo real no Twitter com seus "Bom dia", seus comentários ácidos e suas fofocas...

Eu não sou celebridade, mas meu dia não começa sem o BOM DIA do Gloss!

Amei as sugestões dele de presentes para os diversos tipos de mães!

Por isso, sem pedir permissão, e torcendo pra ele não ficar bravo comigo, transcrevo literalmente as mesmas pra todos vocês. E convido a todos a segui-lo no twitter (www.twitter.com/HugoGloss) Seus dias nunca mais serão os mesmos!

Dicas Gloss pro Dia das Maes! Se sua mae é divorciada, leve a fifi pra um dia de sex shop! Ela precisa botar o corpitcho pra jogo!

Se sua mãe é do tipo perua, deixa ela ter um dia de riquezza! Leve-a pra jantar num restaurante bapho! O presente? Um perfume luxo!

Se vc n ve sua mae ha mto tempo, nda de fazer o pobrinho e dar um kit natura! Seja memoravel! Uma joia, um quadro.. Seja ousado e rycoh

Se sua mae é estressada, workaholic, o jeito é liberar a tensao da bonita! One day spa é a cara da riqueza! Relaxa a véia!

Se sua mae é do tipo q n liga pra coisas materiais, n é motivo vc dar 1 liquidificador p ela! Passagens aereas é o presente ideal!

Se sua mae é do tipo chata q reclama de tudo, dê um mês de contas da casa paga! Quero ver ela achar ruim..

Para mães hippies, procure o maconheiro mais proximo... Ela vai fingir q n quer, mas vai adorar um papo c/ Bob...

Se vc é ou esta pobre e n tem dinheiro pra dar nda p sua mae, n é motivo! Junte a familia e cozinhem um bom almoço pra ela! Um dia de madame

Se sua mae é cult e divertida, leve a tia pra uma noite de teatro... Com tanta peça e stand-up, ela vai rir e esquecer suas presepadas

Se vc n tem mais mae, lembre-se com amor da sua e vá bajular a de algum amigo, ou as suas amigas q sao mamaes...

E por fim, independente do presente, agarre mto a maezinha gostosa e mostre pq vc é o filho mais ryquezza do mundo! Elas merecemm!!

Marcadores:








quinta-feira, 6 de maio de 2010
Posso Errar?




O texto abaixo é minha homenagem a todas as mães, que como eu, erram, acertam...acertam,erram...


Posso Errar?
Por Leila Ferreira

Há pouco tempo fui obrigada a lavar meus cabelos com o xampu “errado”. Foi num hotel, onde cheguei pouco antes de fazer uma palestra e, depois de ver que tinha deixado meu xampu em casa, descobri que não havia farmácia nem shopping num raio de 10 quilômetros. A única opção era usar o dois-em-um (xampu com efeito condicionador) do kit do hotel. Opção? Maneira de dizer. Meus cabelos, superoleosos, grudam só de ouvir a palavra “condicionador”. Mas fui em frente. Apliquei o produto cautelosamente, enxaguei, fiz a escova de praxe e... surpresa! Os cabelos ficaram soltos e brilhantes — tudo aquilo que meus nove vidros de xampu “certo” que deixei em casa costumam prometer para nem sempre cumprir. Foi aí que me dei conta do quanto a gente se esforça para fazer a coisa certa, comprar o produto certo, usar a roupa certa, dizer a coisa certa — e a pergunta que não quer calar é: certa pra quem? Ou: certa por quê?

O homem certo, por exemplo: existe ficção maior do que essa? Minha amiga se casou com um exemplar da espécie depois de namorá-lo sete anos. Levou um mês para descobrir que estava com o marido errado. Ele foi “certo” até colocar a aliança. O que faz surgir outra pergunta: certo até quando? Porque o certo de hoje pode se transformar no equívoco monumental de amanhã. Ou o contrário: existem homens que chegam com aquele jeito de “nada a ver”, vão ficando e, quando você se assusta, está casada — e feliz — com um deles.
E as roupas? Quantos sábados você já passou num shopping procurando o vestido certo e os sapatos certos para aquele casamento chiquérrimo e, na hora de sair para a festa, você se olha no espelho e tem a sensação de que está tudo errado? As vendedoras juraram que era a escolha perfeita, mas talvez você se sentisse melhor com uma dose menor de perfeição. Eu mesma já fui para várias festas me sentindo fantasiada. Estava com a roupa “certa”, mas o que eu queria mesmo era ter ficado mais parecida comigo mesma, nem que fosse para “errar”.
Outro dia fui dar uma bronca numa amiga que insiste em fumar, apesar dos problemas de saúde, e ela me respondeu: “Eu sei que está errado, mas a gente tem que fazer alguma coisa errada na vida, senão fica tudo muito sem graça. O que eu queria mesmo era trair meu marido, mas isso eu não tenho coragem. Então eu fumo”. Sem entrar no mérito da questão — da traição ou do cigarro —, concordo que viver é, eventualmente, poder escorregar ou sair do tom. O mundo está cheio de regras, que vão desde nosso guarda-roupa, passando por cosméticos e dietas, até o que vamos dizer na entrevista de emprego, o vinho que devemos pedir no restaurante, o desempenho sexual que nos torna parceiros interessantes, o restaurante que está na moda, o celular que dá status, a idade que devemos aparentar. Obedecer, ou acertar, sempre é fazer um pacto com o óbvio, renunciar ao inesperado.
O filósofo Mario Sergio Cortella conta que muitas pessoas se surpreendem quando constatam que ele não sabe dirigir e tem sempre alguém que pergunta: “Como assim?! Você não dirige?!”. Com toda a calma, ele responde: “Não, eu não dirijo. Também não boto ovo, não fabrico rádios — tem um punhado de coisas que eu não faço”. Não temos que fazer tudo que esperam que a gente faça nem acertar sempre no que fazemos. Como diz Sofia, agente de viagens que adora questionar regras: “Não sou obrigada a gostar de comida japonesa, nem a ter manequim 38 e, muito menos, a achar normal uma vida sem carboidratos”. O certo ou o “certo” pode até ser bom. Mas às vezes merecemos aposentar régua e compasso.

Leila Ferreira é jornalista, apresentadora de TV e autora do livro Mulheres – Por que será que elas..., da Editora Globo.

Marcadores:








quarta-feira, 5 de maio de 2010
Tacos e Mojito



Sabe aqueles dias que te bate uma vontade louca de reunir três ou quatro amigos e jogar conversa fora?! Mas aí você começa a achar que vai dar trabalho... Mas a vontade não passa! Isto vive acontecendo aqui em casa. Quando não é comigo, é um dos filhos me comunicando que vai receber uns amigos, mas que eu não preciso esquentar a cabeça! Posso providenciar qualquer coisinha simples e rápida!

Se você como eu passa por estes apuros, aqui vai uma dica infalível! Uma reuniãozinha "mexicana" com Tacos e Mojito.

Primeiro que a decoração pode ser simples e charmosa ao mesmo tempo.

Se você já foi ao México e trouxe algumas coisinhas de lá, como copinhos de tequila,ponchos, rede e chapelões, melhor ainda!

Mas nada disso fará falta se você usar a criatividade.



Toalha e guardanapos coloridos, vasinhos de cactos e no mais a própria comida, bebida, limão cortado e sal ajudam a compor a decoração.

E preparar os Tacos e o Mojito também é bastante simples.

Taco é uma comida típica da culinária mexicana, consistindo em uma tortilla à base de milho que pode ser recheada com carne picada (frango, carne bovina ou de porco), queijo, alface e às vezes tomate. Se come com as mãos, como um sanduiche.



Esta primeira receita e bem simples e prática e nem por isso menos saborosa.

Ingredientes:

14 tortillas (que você pode comprar prontas em bons hipermercados)


2 quilos de carne
1 xícara de vinho branco
3,5 quilos de molho de tomate picante
3 colheres de alho picado
Sal e pimenta-do-reino para temperar
1 punhado de cebolinha verde picada
1 xícara de coentro picado


Modo de preparo:

Coloque a carne em um panela e cozinhe-a com o fogo bem baixo. Adicione o vinho branco e o molho de tomate por cima da carne. Depois adicione o alho e tempere com sal e pimenta segundo seu gosto.

Tampe a panela e continue cozinhando a carne com o fogo baixo, até que fique bem cozida. Uma vez que estiver pronta, desfie a carne com a ajuda de um garfo e uma faca.

Coloque a carne desfiada em uma tigela e adicione a cebolinha verde e o coentro. Recheie as tortillas com esta carne e acompanhe-as com o que desejar.


Esta segunda opção é um pouquinho mais trabalhosa...e deliciosa!


Ingredientes

tortillas prontas


600 g de carne de porco cozida
250 g de coxão mole ou alcatra cozida
1 colher (chá) de óleo
2 cebolas médias fatiadas
3 fatias médias de bacon em pedaços pequenos
2 tomates médios, sem pele e sem sementes, picados
1 colher (sopa) de chili em pó
1 xícara (chá) de feijão em conserva
6 folhas de alface picadas finamente
4 colheres (sopa) de creme de leite
suco de limão

Guacamole

polpa de 2 abacates pequenos amassada
1 tomate médio, sem pele e sem sementes, em pedaços bem pequenos
2 colheres (chá) de suco de limão
2 pimentas serrano ou pimenta-malagueta verde
1 cebola média fatiada

Modo de Preparo

Usando dois garfos, desfie as carnes e reserve. Aqueça o óleo em uma panela e refogue a cebola e o bacon. Junte a carne, os tomates e 4 colheres (sopa) de água. Incorpore o chili e cozinhe em fogo baixo, mexendo de vez em quando, até a carne dourar e não restar líquido. Retire e reserve. Coloque o feijão em outra panela e cozinhe, mexendo com vigor até obter uma pasta. Reserve. Misture o creme de leite com um pouco de suco de limão. Reserve.

Guacamole: coloque a polpa de abacate em uma tigela e junte o tomate, o suco de limão, a pimenta e a cebola. Misture até obter um creme homogêneo. Recheie as tortillas com o feijão, a carne, a alface, o guacamole e o creme azedo. Sirva a seguir.

Dicas:
Para obter pó para chili, asse em forno alto 4 pimentas-dedo-de-moça, por 10 minutos. Retire os cabos e as sementes e amasse até obter um pó.


Para beber...MOJITO!



Ingredientes:

1 xícara de água

¾ xícara de açúcar

1 xícara de galhinhos de menta fresca

2 xícaras de refrigerante de limão

1 xícara de suco de limão fresco

½ xícara de tequila

Raspas de limão e galhos de menta para enfeitar

Modo de preparo:

Em uma panela pequena coloque a água e o açúcar; leve até o ponto de ebulição mexendo constantemente até que o açúcar fique completamente dissolto. Retire do fogo e agregue os galhos de menta. Deixe pousar pelo menos duas horas ou até que fiquem completamente refrigerados.

Passe a mistura por uma peneira a uma jarra eliminando os galhos de menta. Adicione o refrigerante de limão, o suco de limão e o tequila. Remexa com uma colher comprida. Sirva em cinco copos ou taças junto com gelo. Decore com o limão e a menta.


Simples assim...e duvido que seus convidados não aprovem!!!

Marcadores: ,








segunda-feira, 3 de maio de 2010
Endro




Erva nativa da Ásia ocidental, apreciada no Mediterrâneo e no sul da Rússia desde a Antigüidade, o endro ou "dill" --como é chamado nos países de língua inglesa-- é quase desconhecido dos brasileiros. Eu nunca tinha usado até bem pouco tempo.Até que um dia resolvi testar uma receita que levava a tal erva.A Batata Fundida que fiz em casa foi aprovadíssima e de lá pra cá, virei fã número um do Endro.

Decidi então aprender um pouquinho sobre o mesmo pois sou apaixonada por ervas e especiarias.

NOME CIENTÍFICO: Anethum graveolens


DESCRIÇÃO DA PLANTA:Planta que atinge entre 20 cm e 1 metro de altura, com caule fino e oco. Suas folhas têm coloração esverdeada a as flores são amarelas.

AROMA E SABOR
Folhas – de aroma e sabor delicado e fresco.
Sementes – extremamente aromáticas, com sabor forte e picante.


PROPRIEDADES
- tônica
- antiespasmódica
- anti-séptica
- diurética
- sedativa

FUNÇÕES TERAPÊUTICAS
- combate a aerofagia
- ameniza a ânsia de vômito
- aumenta a produção do leite materno
- diminui a flatulência
- combate a insônia
- indicado para a limpeza e desinfecção de feridas
- combate resfriados
- alivia soluços
- combate dor de dente
- alivia cólicas intestinais em recém nascidos

HISTÓRICO E CURIOSIDADES: Esta planta é conhecida desde a Antiguidade por curar indigestões, dores estomacais, estimular o apetite e conciliar o sono.
O uso desta erva já era mencionado na Bíblia, para pagamento de impostos, pois tinha alto valor comercial para os romanos.
Era usada pelos gregos para curar soluços.
Sua maior tradição, tanto culinária quanto medicinal, é cultivada na Índia.
Para os romanos simbolizava a vitalidade.

PARTES USADAS: Flores, folhas e sementes.

FORMAS EM QUE SE ENCONTRA: Fresco e seco.

USO GERAL: Além de ser apreciada como condimento, esta erva também é usada na perfumaria, para aromatizar sabonetes, e na cosmética tem a propriedade de clarear a pele, fortalecer as unhas e perfumar o hálito.
Saches com a flor, colocados em armários ou gavetas, espanta as traças.



Com sabor suave que remete ao da erva-doce, com a qual é muitas vezes confundido,o endro é um tempero popular na Europa, especialmente nos países nórdicos, na Polônia e na Rússia.

Versátil, é usado para aromatizar licores, xaropes e vinagres e para condimentar picles, sopas, cremes e pães. Na Escandinávia, tempera peixes (fritos, cozidos e no "gravlax", quando é marinado e desidratado), batatas, molhos, iogurtes e creme azedo. O nome "dill", aliás, deriva do norueguês antigo "dilla", que significa acalmar --na Inglaterra, a água de "dill" é oferecida aos bebês.

O endro vem se tornando mais conhecido no país devido às escolas de gastronomia e acredito que deva ser cada vez mais usado, pois tem tudo a ver com o Brasil: é suave e refrescante.

Devido ao aroma e sabor delicado de suas folhas, é indicado para comidas pouco temperadas.As folhas secas perdem um pouco o aroma.Seu aroma e sabor são melhor aproveitados, quando esta erva é acrescentada ao final do cozimento.

Suas folhas combinam bem com peixes,saladas,ovos,queijos cremosos,arroz e sopas.

Já a sementes ficam perfeitas em conservas,pickles evinagres aromáticos.

Agora, a receitinha deliciosa que me fez apaixonar pelo endro!


Batata Fundida



Ingredientes

1 kg de batata cozida(s) em rodela(s)
1/2 litro(s) de creme de leite fresco
200 gr de queijo fundido
250 gr de queijo prato ralado(s) grosso(s)
2 colher(es) (sopa) de parmesão ralado(s)
2 colher(es) (sopa) de farinha de rosca
2 colher(es) (sopa) de endro
3 colher(es) (sopa) de Azeite Andorinha
1 colher(es) (sopa) de alecrim
35 gr de manteiga clarificada
1 unidade(s) de cebola ralada(s)

Modo de preparo:

Aqueça o forno a temperatura alta. Leve ao fogo uma frigideira grande de borda alta, acrescente a manteiga clarificadaver vídeo e duas colheres de sopa de azeite, junte o alecrim e frite as batatas dos dois lados até que fiquem levemente douradas. Reserve. Leve ao fogo uma panela média, acrescente uma colher de sopa de azeite, doure a cebola ralada, acrescente o creme de leite fresco e o queijo fundido. Mexa até o queijo derreter completamente e formar um creme espesso e homogêneo. Reserve. Em um refratário, coloque a metade das batatas, polvilhe sobre elas uma colher de endro, despeje metade do creme e cubra com a metade do queijo prato raladover vídeo Faça outra camada com as batatas restantes, despeje o restante do creme e cubra com o queijo prato ralado. À parte misture o queijo parmesão ralado com a farinha de rosca e polvilhe por toda a superfície. Leve ao forno bem quente por aproximadamente 20 minutos ou até que gratine. Sirva como entrada ou como acompanhamento de assados, ou mesmo sozinho.

Marcadores: ,








sábado, 1 de maio de 2010
Cervejinha mística



Excelente essas garrafas criadas pela recém graduada estudante Ryanna Christianson, para a cerveja Norsk Øl baseadas em gnomos escandinavos.

Ryanna Christianson, recém formada na Universidade de Wisconsin Stevens Point, criou um pacote de seis Norsk Øl que é baseado no Nisse escandinavo, uma pequena criatura mística.

Seu trabalho se concentra, sobretudo, nas áreas de embalagens, tipografias, logotipos, e demais áreas gráficas. A designer fala sobre a bebida e explica o design escolhido para a embalagem, já citado no início:

“Norsk OL é uma bebida alcoólica com base em pesquisas nas tradições e folclores norueguesas. Na garrafa é representado um personagem do folclore norueguês chamado “Nisse”, pequenas criaturas míticas que trazem boa sorte, mas também são um tanto quanto traiçoeiros”.

Não posso terminar o post sem dizer..."Eu quero...ah! Como eu quero!"

Marcadores: