<META content="MSHTML 6.00.2900.2604" name=GENERATOR><!-- --><style type="text/css">@import url(https://www.blogger.com/static/v1/v-css/navbar/3334278262-classic.css); div.b-mobile {display:none;} </style> </HEAD><BODY><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d8940721423393911285\x26blogName\x3dCoisas+de+uma+Chef\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://coisasdeumachef.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_BR\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://coisasdeumachef.blogspot.com/\x26vt\x3d8704643840310654996', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
sábado, 30 de outubro de 2010
Pac Man mania



Há 30 anos ele come pastilhas e frutinhas sem parar, mas nem por isso o Pac-Man deixou de ser uma bolinha amarela esbelta. Está certo que frutas fazem bem à saúde e ninguém sabe do que as pastilhas são feitas, mas fugir dos fantasmas que o perseguem certamente é um dos segredos da boa forma desse “trintão”, que marcou uma geração. A minha geraçáo, diga-se de passagem!



A criação do japonês Toru Iwatani, lançada em 22 de maio de 1980 pela Namco, empresa de videogames com sede em Tóquio, conquistou admiradores em todo o mundo e ultrapassou os limites da tela.



Desde que surgiu, na década 1980, o clássico  Pac-man tem servido de inspiração para todo tipo de criação de design. A novidade agora veio do estúdio ucraniano de design Psyho: o Unpackman. Em vez de comer fantasmas por um labirinto, o popular boneco amarelo abre garrafas. Se você não quiser utilizá-lo como abridor, pode-se adaptá-lo para a função de chaveiro. O utensílio ainda é um conceito e, por enquanto, não está à venda.



Acordar cedo pode ficar mais divertido com esse despertador.  O personagem empresta seu formato ao relógio digital, que também conta com o som, trilha sonora do videogame. Detalhe: os botõezinhos de ajuste mostram outros ícones do jogo, como as cerejinhas, os fantasmas e um sino. Gostou? O despertador está à venda na loja britânica Firebox e sai por US$ 24.








O Pac-man, também tem tudo a ver com  decoração Ele se tornou inspiração para uma linha de pufes, criada pelo estúdio italiano Qayot. Batizado de Poufman, o produto é vendido em conjuntos de duas peças: uma com o formato do boneco e outra, em forma de cubo, que encaixa na “boca” dele. Disponível em variações de vermelho, preto e bege, a peça ainda não é vendida no Brasil.






 A estante Pac-man, criada pelo estúdio italiano Ginepro Design é feita em madeira com acabamento em verniz amarelo e pode ser comprada mediante pedido.

E eu fico aqui olhando...olhando...com uma vontade louca de ter minha casa invadida por eles! E se alguém souber como posso fazer para ter a minha cozinha sendo devorada por eles, por favor me avisem!








Marcadores:








quinta-feira, 28 de outubro de 2010
Hummus bi tahine



Homus em árabe significa grão-de-bico. Quando acrescentado de tahine a pasta de grão-de-bico passa a ser chamada de hummus bi tahine ou musabbaha.
Preparação com boa apresentação, de coloração bege e pequenos pontos verdes. A textura é cremosa, com pequenos pedaços de grão-de-bico. O sabor é muito bom, sendo bem pronunciado o azeite de oliva e a tahine.

O homus é feito em diversas formas locais pelo mundo árabe. A sua origem é atribuída ao Sultão Saladin, sendo que a receita secreta do Sultão permanece guardada pelos seus descendentes até os dias de hoje, embora diversas "imitações" existam atualmente.

No homus pode-se usar grão-de-bico seco ou enlatado. Para grãos-de-bico seco deve-se, preferencialmente, deixá-los de molho em água por uma noite, e então fervê-los por uma hora ou mais (também é possível cozinhá-los em panela de pressão sem deixá-los previamente de molho). Bate-se então o grão-de-bico cozido (ou o enlatado) em um processador ou liquidificador, juntamente com tahine, azeite e suco de limão. Um pouco da água em que os
grãos-de-bico foram fervidos pode ser adicionada para se alcançar a consistência desejada. Alho, sal, salsinha, cebola, cominho e pimenta também podem ser adicionados. Para uma textura mais suave, pode-se remover a pele do grão-de-bico.
Gráo de bico

O grão-de-bico é rico em proteínas, minerais, vitaminas do complexo B e fibras, além de ser pobre em gorduras. O ácido fólico é encontrado em doses generosas no grão. Vários estudos referem a importância desta leguminosa na prevenção de doenças cardiovasculares assim como no tratamento de vários tipos de anemia.


Tahine
 O tahine é uma excelente fonte de proteína vegetal, rico em gorduras mono e poli insaturadas, antioxidantes como o sesamol, omega 3, vitaminas (B e E), minerais e cálcio.

Dica: O homus tahine pode ser introduzido na alimentação como fonte complementar de cálcio para pessoas com osteoporose e também para aqueles que querem melhorar as gorduras do sangue (colesterol bom e ruim).


Atenção: Alimento calórico, consumir com moderação.

E como não podia ser diferente, uma receitinha deliciosa para vocês!





Rendimento: 60 colheres (sopa) de 18 g
Tempo de preparo: 25 minutos (mais 1 hora de cozimento)
Ingredientes :


•2 xícaras (chá) de grão-de-bico . 360 g
•2 dentes de alho sem cascas . 12 g
•3 colheres (sopa) de salsinha picada . 12 g
•8 colheres (sopa) de azeite de oliva espanhol . 80 g
•6 colheres (sopa) de tahine . 90 g
•2 colheres (sopa) de suco de limão . 30 ml
•1 colher (sopa) de páprica picante . 5 g
•4 colheres (sopa) de azeite de oliva extravirgem espanhol . 40 g
•Sal a gosto
Pão sírio torrado para acompanhar
Modo de Fazer :

•Escolha os grãos-de-bico, lave-os sob água corrente, coloque em uma panela de pressão e cubra com água. Tampe a panela, leve ao fogo e cozinhe por 15 minutos ou até começar a soltar vapor. Deixe cozinhar por mais 45 minutos ou até os grãos-de-bico ficarem macios. Retire do fogo, retire a pressão e abra a panela.
•Escorra a água, tire a pele dos grãos-de-bico, reserve alguns para decorar.
•Descasque os dentes de alho. Lave a salsinha, seque com toalha de papel, separe somente as folhas, pique-as finamente, meça 3 colheres das de sopa e reserve.
•Coloque no copo do processador o grão-de-bico, os dentes de alho, o azeite de oliva, o tahine, o suco de limão, 1 xícara (chá) de água (240 ml) e o sal. Bata por 3 minutos ou até obter uma pasta homogênea.
•Passe a mistura por uma peneira de malha fina.
•Montagem: arrume fatias de pães-sírios nos pratos, em cima disponha um pouco do hummus, distribua a salsinha e enfeite com os grãos-de-bico reservados. Polvilhe a páprica e regue com o azeite de oliva extravirgem.

Valor nutricional por cada colher das de sopa:

50 calorias; 4 g de carboidratos; 1,5 g de proteínas; 3 g de gorduras totais (0,5 g de saturada, 2 g de monoinsaturada e 0,5 g de poliinsaturada); 0 de colesterol; 1 g de fibras; 0,7 mg de ferro; e 20 mg de cálcio.

Marcadores: ,








segunda-feira, 25 de outubro de 2010
Dia Mundial do Macarrão 25 de outubro





O Dia Mundial do Macarrão foi criado durante o primeiro congresso mundial sobre o alimento, que reuniu os principais fabricantes do mundo em Roma, na Itália, em 1995. A data é lembrada em vários países, entre eles EUA, México, Turquia, Itália, Alemanha, Venezuela e Brasil, claro. A data, 25 de outubro, foi escolhida por ser o dia da realização do 1º Congresso Mundial de Pasta.

O Brasil é o terceiro maior produtor de macarrão do mundo.O consumo de macarrão no Brasil é de 5,6 kg por pessoa, a cada ano.Com consumo local de 1,3 toneladas por ano, o macarrão é um dos alimentos mais vendidos no Brasil. O país está entre os quatro maiores consumidores do alimento do mundo -- os outros são Itália, Estados Unidos e Venezuela. Os valores nutritivos, o preço acessível, o sabor e a divulgação são responsáveis pela popularidade nacional do produto. 

Das variedades comercializadas, 85,5% são massas secas, 10% são instantâneas e 4,5% são frescas. A categoria de massas instantâneas, principalmente o macarrão comum, é a que mais cresce --em 2006 houve um acréscimo de 8% na produção. Entre as massas secas, as preferidas são as feitas com sêmola e, entre as frescas, as mais consumidas são as sem recheio. 

Para que você possa comemorar esta data em grande estilo, selecionei duas receitas impecáveis!


Tagliolini ao creme aromatizado com sálvia, presunto cru e óleo de tartufo



Por Sergio Arno


 

Ingredientes

2 colheres (sopa) de manteiga
10 folhas de sálvia
300 ml de creme de leite fresco
120 g de presunto cru cortado em julienne (finas tirinhas)
400 g de tagliolini
Gotas de óleo de tartufo para aromatizar
Queijo tipo parmesão ralado a gosto
Sal e pimenta-do-reino moída na hora a gosto


Decoração
  
Finas lâminas de presunto cru


Preparo


1.Numa frigideira grande, derreta a manteiga, acrescente as folhas de sálvia, o creme de leite e o presunto cru. Misture bem e cozinhe por alguns minutos, para os sabores se mesclarem.
2.Cozinhe a massa em abundante água fervente com sal e escorra-a al dente. Misture-a ao molho, acerte o sal, a pimenta, pingue o óleo de tartufo e por último polvilhe o parmesão.
3.Sirva imediatamente, com as lâminas de presunto

Serve 4 porções

Taglierini verde all’ italiana



Por Antônio Wilson de Aquino
 
Ingredientes
 
400 g de molho napolitano (tomate picado com manjericão)
3 dentes de alho amassados
1/2 xícara (chá) de óleo de oliva
200 g de filé mignon em cubos
150 g de champignons fatiados
400 g de tagliarini verde
Folhas de manjericão a gosto
Sal a gosto
 
Preparo
 
1.Em uma frigideira, coloque o molho napolitano, os dentes de alho e o óleo de oliva.
2.Acrescente o filé mignon em cubos, depois os champignons e o manjericão a gosto, para dar um toque no tempero.
3.Coloque o sal e deixe no fogo até a carne cozinhar e os ingredientes se mesclarem.
4.Cozinhe a massa em abundante água fervente com sal e escorra-a quando estiver al dente.
5.Disponha a massa numa tigela (ou diretamente nos pratos), coloque o molho por cima e sirva imediatamente.

Serve 4 porções

Bon appetit!

Marcadores: ,








domingo, 24 de outubro de 2010
Muito merecido

Chegou ao final o II Festival Gastronômico do Mercado Central que entre outras coisas revelou novos talentos da gastronomia no país. O resultado, mais que merecido, náo poderia ser outro. O grupo formado pelos fofos e talentosos Daniel Lieb,Aldemir Borges,Denio Henrique,Alessandra Rangel,Gustavo Sana  e Eduardo Batista, além de receber a premiação em dinheiro,  também terá seu dia de "chef por um dia" no 3º TecnoBar apresentando os cardápios do concurso. Também terão matérias publicadas na revista MinasGourmet, a receita publicada no encarte do SuperNosso e na Tv Band Minas no programa “Tudo de bom” .


Vejam o cardápio apresentado pelos talentosos chefs:

Entrada: O cerrado em três sabores

 
Prato Principal: Codorna na Raspa de Corda


Sobremesa: Mil Folhas de Buriti



Parabéns queridos! Vocês merecem isto e muito mais!

Marcadores: ,








sábado, 23 de outubro de 2010
Festival da Linguiça no Armazém Medeiros



Que tal ser transportado para um ambiente da década de 40, e desfrutar dos prazeres gastronômicos e de saborosos drinks, mas sem abrir mão de toda a sofisticação e requinte dos dias atuais?

Com uma atmosfera agradável e ar retrô, o Armazém Medeiros está localizado no charmoso prédio que pertence à família de mesmo sobrenome e que, nos anos 40, recebeu seu registro das mãos do então prefeito Juscelino Kubitschek. A inusitada decoração é o charme do lugar: prateleiras de madeira que expõem produtos característicos dos antigos armazéns e luminárias de garrafas de cerveja dão um toque especial.

O Armazém Medeiros oferece delícias de cabo a rabo do cardápio! Entre os destaques estão os petiscos finos e as carnes na brasa (picanha, bife de chorizo e outras). Tem também Costelinha Medeiros (R$6,90* a cada 500g), Linguiçinha Medeiros (R$16,50* a cada 300g) e Salada de Bacalhau com Feijão de Corda (R$24,80*). Para acompanhar, escolha entre chopps, cervejas, drinks, vinhos, espumantes, e como não poderia faltar, uma respeitável seleção de cachaças!



Muitas vezes é difícil encontrar boas linguiças pelos bares e restaurantes da cidade. Elas existem, mas você tem de procurar bem para encontrá-las.

É por isso que me chamou a atenção o Festival da Linguiça, cuja primeira edição o bar Armazém Medeiros vai promover entre os dias 27 e 31 deste mês.

Durante esse período estarão em evidência receitas de linguiça desenvolvidas por um dos proprietários da casa, Ricardo Prates. Ele foi um dos vencedores do concurso do Festival Internacional da Linguiça (Filing), que aconteceu durante a edição deste ano do Festival Internacional de Cultura e Gastronomia de Tiradentes.




Eis as linguiças:

- Linguiça Medeiros, cuja receita é secreta
- Linguiça de surubim (com leite de coco, vinho branco, suco de laranja e páprica picante)
- Linguiça de frango com geleia de pimenta
- Linguiça calabresa com curry (e suco laranja, geleia de pimenta, coentro, cebolinha e gengibre)
- Linguiça de frango à parmegiana (leva coxa desossada, presunto, provolone, alho, orégano, calabresa, cachaça, vinagre, salsa e cebolinha)
- Linguiça de cordeiro (com toucinho, castanha de caju, alho, azeite, parmesão, sal, vinho tinto e hortelã)

A porção de 100g de cada uma delas custa entre R$ 5,50 e R$ 7,80, dependendo do tipo. Há opção de menu degustação com cinco variedades, que sai por R$ 38 (500g).

Armazém Medeiros
Rua Rio de Janeiro, 2.221, Lourdes
Belo Horionte
Fone:31 3047-9748

Nos vemos lá!

Marcadores: ,








quinta-feira, 21 de outubro de 2010
Festival de paella no Copa é programa ideal pro sábado



Tomando como referência pratos típicos das cozinhas mediterrânea e espanhola, acrescidos de um toque de tempero nacional, o restaurante Copa é uma ótima pedida para quem procura por novidades gastronômicas na Savassi.

O nome do lugar veio do significado desta palavra em espanhol, que serve tanto para designar uma taça, copo ou cálice, quanto para fazer um convite para sair com os amigos.

O estabelecimento conta com dois ambientes: o primeiro com o pé direito duplo e o outro mais aconchegante e intimista. Seu cardápio oferece opções de entradas quentes e frias, frutos do mar, carnes e massas, além de uma carta de vinhos para acompanhar.

Como sugestões de pedido, os mais indicados são os chamados “Bruñellos del Mar”, uma mistura de empanados de lula, camarão, mexilhão e pescado servido junto com Molho Pesto de Pimenta e Molho Dijon, e também o famoso “Aligot”.



Todo apreciador da culinária espanhola que se preze come com muito gosto uma paella bem feita. E o restaurante Copa realiza, aos sábados, seu Festival de Paella. São três os tipos de paella oferecidos, que servem bem duas pessoas. A Paella de frutos do mar é feita exclusivamente com esses ingredientes. Já a Valenciana leva frutos do mar, coelho e frango. As duas são receitas tradicionais espanholas. A terceira opção, a Copa, cuja receita leva frutos do mar, lombo, linguiça e frango segue a linha de alguns pratos do cardápio, onde são usados ingredientes locais em receitas mediterrâneas, dando um toque autoral ao prato.

A paella é um prato original da região da Valencia, na Espanha. Criado no século XV pelos camponeses, consistia na junção do arroz, sobras de comida e legumes da estação. O nome desta iguaria tem origem na panela onde é preparado, a paellera ou paella valenciana, uma espécie de frigideira, de ferro ou aço. O formato do utensílio favorece o cozimento do arroz por igual. Séculos depois, a paella é sinônimo de comida sofisticada, feita com produtos nobres e frescos.



Festival de Paella

Aos sábados, a partir de 12 horas

Restaurante Copa

Rua Levindo Lopes, 22, Savassi

Marcadores: ,








terça-feira, 19 de outubro de 2010
Super Bock Abadia Gold com Isca Crocante de Budião Azul




Difícil e triste esta minha vida  de experimenar novas cervejas e procurar harmonizá-las com receitinhas deliciosas...

Bem...Nesta saga cruel, ontem foi dia da Super Bock Abadia Gold.

Uma cerveja frutada e seca, ideal para acompanhar sabores suaves e frescos do peixe e marisco. Cerveja especial, surpreendentemente leve e pouco amarga. De cor dourada, é muito atenuada e seca, com 6,8% de teor alcoólico. Aroma exuberante e frutado.Equilibrada e suave.

Uma das cervejas mais bonitas que eu já vi. Aroma cítrico bem forte, que chega a lembrar o aroma de um vinho branco. A cor acompanha o nome da cerveja: gold. No sabor, o cítrico continua, misturado com um delicioso sabor lupulado. Deixa na taça uma camada de espuma, que vai deslizando suavemente na borda com o tempo. Uma excelente poruguesa,com certeza!

Cerveja comprada e gelada, hora de preparar o prato.

Consegui através de uma fonte "secreta" um belo budião azul...e veio a calhar!




Isca de Budião Azul crocante


Ingredientes:
350g de budião azul (cortado em isca)
1/2 limão
Sal e ajinomoto a gosto
250g de farinha de trigo
300g de cereal de milho (corn flakes)
2 ovos inteiros batidos
Óleo para fritar

Modo de preparo:

Tempere as iscas de peixe com sal, limão e ajinomoto, de preferência com 40 minutos de antecedência. Na hora de empanar, passe o peixe primeiro na farinha de trigo, depois no ovo batido e, por último, no cereal de milho.
Frite em óleo bem quente e depois escorra em papel toalha. 
A combinação ficou perfeita! Vale experimentar.
E se conseguir o budiáo dando sopa por essas bandas me avise!

Marcadores: ,








sábado, 16 de outubro de 2010
16 de outubro - Dia Mundial do Pão




Existe alguém que não goste de um pãozinho saindo do forno?! Com uma manteiga de qualidade e um cafezinho para acompanhar é algo sempre irresistível!

O pão, alimento sagrado, que é citado na Bíblia Sagrada como um dos primeiros milagres de Cristo ‘o da multiplicação dos pães’ e também lembrado na Santa Ceia, também tem sua data de comemoração -- Dia Mundial do Pão 16 de Outubro. Este foi o dia escolhido no mundo todo para se comemorar a sagrada profissão de fazer o pão. A data foi instituída em 2000, em Nova York, pela UIB - International Union of Bakers and Bakers-Confectioners.

Indispensável na mesa dos brasileiros, o pão é um dos alimentos mais antigos e mais populares da humanidade. Sinônimo de prosperidade, atravessa a história com novas versões, mas sem perder sua essência.

Rico em carboidratos, o pão tem a capacidade de melhorar nosso humor e disposição mental, afinal de contas, o dia sempre começa mais gostoso  quando comemos um pão quentinho no café da manhã, não é? A todo o momento são abertas lojas especializadas e as padarias aumentam sua variedade de opções para oferecer novidades para um mercado cada vez mais exigente.




Considerado o alimento do corpo e da alma, o pão é também um exemplo de partilha. Sublimado na parábola da Multiplicação dos Pães, se transformou em um símbolo religioso ao representar o corpo de Cristo, na Santa Ceia. Apesar da diversidade de culturas e religiões, sua essência permanece a mesma: uma combinação de farinha, água e sal que, ao longo do tempo, foi sendo enriquecida com grãos, temperos, embutidos, queijos, legumes, verduras, cremes e frutas.

Sua origem se confunde com própria história do homem. Segundo os historiadores, o pão teria surgido há milhares de anos, quando era confeccionado com glades de carvalho e faia trituradas, sendo depois lavado com água quente para tirar o amargor. Em seguida, a massa era colocada sob o sol para secar e se faziam broas com a farinha. Mel, azeites doces, mosto de uva, tâmaras esmagadas, ovos e pedaços de carne foram sendo acrescentados posteriormente, formando bolos que eram cozidos sobre pedras quentes ou sob as cinzas.

A primeira civilização a utilizar o forno foi a egípcia. Aos egípcios também foi atribuída a descoberta do acréscimo de líquido fermentado à massa para torná-la leve e macia. Este alimento era tão importante para os povos antigos que no Egito serviu até como moeda corrente: um dia de trabalho valia três pães e dois cântaros de cerveja. Os judeus, porém, não preparavam seus pães com fermento por acreditarem que a fermentação deixava os pães impuros e podres.

Segundo o filósofo romano Plínio, conhecido como o Antigo, os gregos foram os responsáveis pelo surgimento do pão na Europa depois da conquista da Macedônia, em 168 a.C. Em Roma, o alimento era preparado nas residências pelas mulheres e, posteriormente, em padarias públicas, surgindo então os primeiros padeiros.

No século XVII, a França se tornou o centro de fabricação de pães de luxo, com a introdução dos modernos processos de panificação. Depois, estas técnicas se espalharam para a Áustria.

No Brasil, o início da fabricação obedecia a um ritual próprio, com cerimônias, cruzes nas massas e até salmos eram rezados para ela crescer, afofar e dourar a crosta, principalmente quando preparados nas casas.

Os pioneiros na atividade de panificação no país foram os imigrantes italianos e as primeiras indústrias do segmento surgiram em Minas Gerais, passando rapidamente para os grandes centros.

Hoje, a paixão pelo pão faz com que cada brasileiro consuma por ano, 33,5 quilos, mas, mesmo com toda essa disposição, nosso apetite ainda é menor do que dos chilenos, argentinos e uruguaios.

Amo pães de todos os tipos. Mas quando o dito cujo é preparado com fermento natural....huuummmm!!!!


Fermento natural

A favor do fermento natural, pesam o sabor especial, a casquinha estalante, o cheiro agradável e a durabilidade maior, de ao menos uma semana.
O fermento natural confere as características do pão europeu: miolo cremoso, com alveolação larga e brilhante, casca dura e escura. 
Se você ficou com água na boca, experimene preparar o seu pão com um fermento natural cultivado por você. Vamos lá!

Fermento natural de figo
Ingredientes

5 figos secos
1 ½ copo de água filtrada
1 copo de farinha de trigo

Preparo

Em uma vasilha de vidro (ou plástico) com tampa, ponha os figos secos de molho na água filtrada. Feche e deixe num lugar quente, abafado e escuro. Depois de três ou quadro dias, o caldo começará a fazer espuma e soltar pequenas bolhas.

Coe e descarte os figos secos fermentados. Junte a farinha de trigo ao líquido e misture bem. Deixe fermentar com a tampa semifechada até dobrar de volume (este processo levará cerca de três dias) - a mistura tem de ficar espessa, lembrando uma massa de bolo. Caso fique aguada demais, junte mais farinha. Você saberá que o fermento natural de figo está pronto quando essa massa triplicar de volume. 
Que tal aproveitar e preparar um pãozinho especial?


PÃO DE FIGOS COM FERMENTO NATURAL



PÃO DE FIGOS COM FERMENTO NATURAL


Receita da chef Mari Hirata com foto de Marisa Ono

INGREDIENTES

700 g de farinha de trigo
100 g de farinha de centeio
300 g a 400 g de fermento caseiro
5 g de extrato de malte (*)
450 ml a 500 ml de água filtrada (**)
15 g de sal
4 a 5 figos secos picados (***)

PREPARO

Misture em uma vasilha grande as farinhas de trigo e de centeio, o malte, o fermento e a água (não coloque o sal agora). Misture tudo até obter uma massa mais para pegajosa que para seca -não precisa sovar. Cubra a vasilha com um pano úmido e deixe descansar por 15 minutos. Esse descanso possibilitará que a massa absorva o máximo possível de água, soltando o glúten da farinha e tornando-se bem elástica (neste momento, o sal seria um obstáculo, pois tende a retirar a água de dentro da farinha)

Depois de 15 minutos de descanso, a massa deve receber o sal e ser sovada pela primeira vez. Ela vai se tornar elástica e lisa -se ainda estiver excessivamente grudenta, pode-se colocar um pouco mais de farinha de trigo. Acrescente os figos picados e coloque a massa em uma vasilha untada com azeite e coberta com filme plástico (se estiver calor, a massa deve duplicar de volume em seis horas; no frio, pode levar de oito a dez horas)
Dobre as laterais da massa em direção ao centro, de maneira a formatar uma bola. Coloque-a em um tabuleiro enfarinhado onde o pão será assado (deixe o lado mais feio para baixo). Cubra a massa com um pano e deixe crescer por mais duas horas até dobrar de volume. Com uma faca, faça cortes superficiais na parte de cima da massa e, se quiser, decore o pão com pedaços da própria massa

Asse o pão em forno preaquecido a 300º C por dez minutos. Durante esse tempo, borrife um pouco d’água com um spray sobre a massa a cada um ou dois minutos (umas cinco ou seis vezes). Esse procedimento fará com que o pão fique com uma crosta crocante

Quando o pão estiver com uma cor ligeiramente dourada, abaixe a temperatura do forno a 250º C e asse por mais 30 minutos. Abaixe a temperatura a 200º C e termine de assar por mais 30 minutos. Se o dorso do pão soar oco, ele está pronto

Deixe esfriar completamente em cima de uma grelha. O pão continua gostoso por uma semana se bem embalado em um pano e dentro de um saco plástico. Ou fatiado e congelado por um mês (neste caso, deve-se torrá-lo levemente antes de degustar)

(*) vendido em casa de alimentação natural; na falta substituir por maple syrup ou karo (é melhor do que o açúcar, pois não é adocicado)
(**) se a água tiver muito cloro, pode matar o fermento
(***) o figo é opcional e pode ser substituído por outras frutas secas ou ser acompanhado por pedaços de nozes ou castanhas

Marcadores: , ,








sexta-feira, 15 de outubro de 2010
Brigadeiros Gourmet da Chef - Lançamento

 


O brigadeiro gourmet é uma reinvenção do brigadeiro clássico, feito com ingredientes de qualidade superior. Em vez de achocolatado, um bom chocolate, de preferência importado. No lugar da margarina entra a manteiga, que é rica em leite e tem sabor incomparável. Para ter sobrenome gourmet, o brigadeiro também deve ter uma boa apresentação, que permita a ele circular com desenvoltura em qualquer ambiente. O uso de um granulado mais "high tech" por exemplo, faz parte desta nova apresentaçáo.

O brigadeiro que envolve chocolate em barra dá o ponto mais rápido – até soltar do fundo da panela – do que o feito com chocolate em pó e possui uma textura muito melhor para bolear , devido a presença da manteiga de cacau do chocolate e da manteiga gorda. O uso de um chocolate com uma porcentagem maior de cacau também é uma boa opçáo.

Seguindo esta nova tendência, lançamos a nossa linha de Brigadeiros Gourmet. Os sabores sáo os mais diversos. E a apresentaçáo dos mesmos também.

Se você nora em Belo Horizonte ou na grande BH e quer provar estas delícias, envie-nos um e-mail e solicite um orçamento.

Veja abaixo alguns dos sabores da nossa linha:

Tradicional Preto Chocolate ao Leite com raspas de chocolate

Tradicional Branco  Chocolate ao Leite Branco selecionado com raspas de chocolate branco

Nozes  Chocolate ao Leite com lascas de Nozes

Pistache Chocolate ao Leite com pedaços de Pistache

Amêndoas  Chocolate ao Leite com pedaços de Amêndoas selecionadas

Amendoim  Chocolate ao Leite com raspas de Amendoim

Amargo  Chocolate Amargo com raspas de chocolate amargo

Caju  Chocolate ao Leite com pedaços de castanha  de Caju Ovomaltine  Chocolate ao Leite envolto em Ovomaltine

Além destes, outros sabores tais como:

Morango, Limão, Maracujá, Capuccino, Tutti-Frutti, Nutella


Marcadores: , , , ,








quinta-feira, 14 de outubro de 2010
Doce tentaçáo...de morango!




Está uma maravilha chegar ao hortifruti e encontrar morangos lindos e suculentos por um ótimo preço! É uma de minhas frutas preferidas e nesta época do ano eu me farto! Além de gostosa, esta fruta também faz muito bem à saúde.

O morango é uma fruta que contém grande quantidade de vitamina C, que evita a fragilidade dos ossos, má formação dos dentes, dá resistência aos tecidos, age contra infecções, ajuda a cicatrizar ferimentos e evita hemorragias.

Ele possui também, em menor quantidade, vitamina B5 (Niacina) e Ferro. A Niacina tem como função evitar problemas de pele, aparelho digestivo,sistema nervoso e reumatismo; e o mineral Ferro é importante porque faz parte da formação do sangue.

Natural ou em sucos, o morango é recomendado como auxiliar do tratamento da gota e reumatismo. É ainda eficiente contra infecções do fígado, garganta e vias urinárias.

O morango amassado com mel é um bom remédio para os males dos rins; e sua folha em forma de chá purifica o sangue, fortalece e alcaliniza o sistema nervoso, além de ser excelente diurético.

Por ser fruto rasteiro, convém lavá-los cuidadosamente para eliminar eventuais impurezas. Deve-se limpá-los em água corrente e se possível deixá-los de molho em água acidificada (limão ou vinagre) durante 15 minutos.

Altamente sensíveis, os morangos não podem ser guardados por muito tempo, no máximo por três dias, na geladeira, sem serem lavados, pois a água favorece o apodrecimento.

Seu período de safra é de julho a novembro. É por isso que vale à pena aproveitar os últimos morangos desta safra!

A receita abaixo é de uma sobremesa deliciosa, uma das minhas preferidas!






Tentação de morangos

Ingredientes:

2 caixinhas de morangos


Creme branco:

1 lata de leite condensado

A mesma medida de leite ( medir na lata vazia do leite condensado)

3 gemas

1 colher de sopa de maisena


Creme de chocolate:

1 barra de chocolate ao leite (200g)

1 lata de creme de leite


Modo de preparo:

1.lavar os morangos e colocá-los em uma assadeira de vidro.

2.Para o creme branco, pegue os ingredientes e leve ao fogo, mexendo até ficar em ponto de creme.

3.Depois que esfriar, aplique sobre os morangos.

4.Já para o creme de chocolate é necessário que o chocolate seja derretido em banho-maria.

5.Em seguida, adicione a ele o creme de leite e coloque por cima do creme branco.

6.Ponha na geladeira e deixe-o por 4 horas.


Experimente você:


Uma boa alternativa para esta receita é substituir o chocolate ao leite por chocolate amargo ou meio amargo.


Como resultado você obtém um contraste interessante entre o doce do morango e o amargo do chocolate.



Marcadores: , ,








segunda-feira, 11 de outubro de 2010
Food Experience em BH - Um curso de gastronomia sem culinária


Os mais antenados já devem ter ouvido falar do Food Experience, mas como acredito que é novidade para a maioria, aproveito para interá-los a respeito.

Os apaixonados Destemperados e os criativos da Perestroika lançaram  um curso genial. Gastronomia como nunca foi falado antes. O Food Experience é um curso de Gastronomia bem diferente porque não aborda Culinária. Ou seja, ninguém vai aprender a cozinhar. O programa privilegia muitos outros aspectos que envolvem a experiência de comer e beber bem. Uma abordagem realmente inédita sobre o assunto no país.

Por trás da boa ideia está o trio Diogo, Lela e Diego, de Porto Alegre, que responde pelo Destemperados, um dos blogs gastronômicos mais bacanas daquelas bandas. A primeira edição do Food Experience foi em março e maio deste ano na capital gaúcha. Todas as palestras lotaram e, consequentemente, gente ficou de fora e muitos outros não conseguiram conferir por dificuldades de deslocamento.

Em contato com Rafael Mantesso, do indispensável blog Marketing na Cozinha, que coincidentemente vinha pensando em organizar evento semelhante, decidiram unir forças e contemplar BH com uma edição própria do evento.  Ah, o evento tem uma madrinha: a chef Roberta Sudbrack, que é gaúcha como o blog Destemperados.

O público alvo são chefs, estudantes de gastronomia, empresários do ramo e gente que atua, de uma forma ou de outra, na área. Para participar, é preciso fazer inscrição por telefone (leia abaixo) e se apressar, pois são apenas 40 vagas. O custo total do Food Experience é de R$ 2.920, incluindo entrada em todas as palestras, material didático delas e alguns comes e bebes para não passar o tempo todo a seco.

E a partir do ano que vem, será sempre assim: uma edição em Porto Alegre, no primeiro semestre, e outra aqui, no segundo. Viva a descentralização!

O Food Experience aborda a gastronomia em 4 etapas: tendências (da gastronomia contemporânea, mundial, da baixa gastronomia e a curiosidade gastronômica pelo Ricardo Freire); business (análise de cases, receitas de sucesso, estudo econômico dos pés-sujos e travel experience); uma parte de bebidas (até mesmo porque toda a boa food experience precisa ser acompanhada de uma bebida à sua escolha, mas que no caso será vinho – do orgânico ao espumante, e cerveja – do chopp ao artesanal); e por fim, a palavra dos chefs e uma análise criteriosa do porquê do sucesso de duas divas, ditas por elas mesmas (a Helena Rizzo do Maní, e a Roberta Sudbrack, que diga-se de passagem, é a Rainha da Bateria, a capitã do time, a madrinha do curso). Ficou afim de participar? As informações você vê na seqüencia.

O evento gastronômico  será realizado em BH mês que vem (de 8 a 10 e de 22 a 24) e cuja programação é composta exclusivamente por palestras com nomes de destaque da cena nacional. Nada de ensinar receitas. O mote é pensar a ida ao restaurante como uma experiência, cujo saldo positivo depende de uma série de fatores. Por isso, são 13 os convidados. Vejam a grade:

Receitas para o sucesso – Belarmino Iglesias Filho. Diretor do Grupo Rubaiyat, com operações em São Paulo, Madri e Buenos Aires.

Lições econômicas da baixa gastronomia – Guilherme Studart. Economista e autor do Anuário Rio Botequim, guia de bares do Rio de Janeiro.

A inevitável dor do crescimento – Ricardo Garrido. Sócio-diretor da Companhia Tradicional de Comércio, responsável pelas operações do Astor, Sub-Astor, Pirajá, Bottagallo, Pizzaria Bráz, Boteco Original e Lanchonete da Cidade.

Novos negócios na gastronomia – Diogo Carvalho. Diretor e um dos fundadores do blog Destemperados, multiplataforma de experiências gastronômicas.

Eu amo. Eu odeio. – Josimar Melo. Jornalista e crítico de gastronomia da Folha de S.Paulo. Responsável pelo Guia Josimar Melo e apresentador do programa O Guia, no canal National Geographic.

Tendências da gastronomia contemporânea – Luiz Américo Camargo. Editor-executivo de suplementos do Estadão e crítico de restaurantes do caderno Paladar e do Divirta-se. Assina o blog Eu só queria jantar e é responsável pelos eventos Paladar – Cozinha do Brasil e Prêmio Paladar.

O que é food experience? – Felipe Anghinoni. Fundador da Perestroika, escola de atividades criativas com cursos em Porto Alegre, São Paulo e BH.

Restaurantes para comer antes de morrer – Riq Freire. Criador de um dos principais blogs de viagem do país, o Viaje na Viagem.

Food trend report – Rafael Mantesso. Formado em Propaganda e Marketing pela ESPM, atua como consultor de marketing para bares e restaurantes. É palestrante e professor de marketing do MBA de Gastronomia do SENAC.

Carta de cervejas nota 10 – Cássio Piccolo. Cervejólogo e proprietário do Frangó, estabelecimento com uma das maiores cartas de cervejas do Brasil.

A glamourização do espumante nacional – Mário Geisse. Enólogo chileno, diretor da Casa Silva e fundador da Cave Geisse. Um dos precurssores do espumante no Brasil.

Razão e emoção: empresário e chef – Benny Novak. Chef e proprietário do Ici Bistrot, Tappo Trattoria e 210 Diner, em São Paulo.

A saga Sudbrack – Roberta Sudbrack. Chef e proprietária do Roberta Sudbrack, um dos mais comentados restaurantes do Brasil.

Anotem aí:

Food Experience

Dias 8, 9, 10, 22, 23 e 24 de novembro, na loja La Lampe (Rua Alagoas, 851, Funcionários), sempre das 18h às 23h. Valor: R$ 2.920. Informações: (31) 8342-3246.


Marcadores: ,








sábado, 9 de outubro de 2010
Dia das crianças com gostinho de brigadeiro



O dia das crianças se aproxima e nada como um brigadeiro pra agradar a meninada! Aqui em casa a turminha já cresceu...Mas tenho certeza que brigarão pelos mesmos!

A receita abaixo é deliciosa e enche de glamour o doce mais querido do país.


Brigadeiro Trufado com Castanha-do-Pará
Rendimento: 30 porções






Ingredientes:



2 lata(s) de leite condensado
2 colher(es) (sopa) de manteiga
1 xícara(s) (chá) de castanha-do-pará moída(s)
3 colher(es) (sopa) de chocolate em pó
2 colher(es) (sopa) de licor de cacau


Recheio
1 lata de creme de leite
200 gr de chocolate meio amargo picado(s)

Cobertura
Quanto baste de castanha-do-pará para empanar

Modo de preparo:


Misture bem os ingredientes e leve ao fogo brando, mexendo sempre até ver o fundo da panela, cerca de 10 a 15 minutos. Leve para um prato untado e deixe esfriar


Recheio
Leve ao fogo em banho maria os ingredientes do recheio, misture até obter um creme espesso. Deixe esfriar e leve para gelar.



Cobertura
Abra pequena porções da massa, recheie com uma colher (café) do creme. Enrole, passe nas castanhas picadas e coloque em forminhas.


E viva a criançada!

Marcadores: ,








quinta-feira, 7 de outubro de 2010
II Festeval Gastronômico do Mercado Central - BH




Acontecerá nos dias 15,16,17 e 22,23 e 24 de outubro  o "II Festival Gastronômico do Mercado Central". Nestes dias uma programação intensamente deliciosa espera por você. Concurso Novos Talentos, Oficinas e Workshops, Espaço Gourmet, Degustação, Shows e a presença de renomados Chefs farão do Mercado Central um seleiro da "boa gastronomia". Náo fique de fora deste delicioso evento! Em breve mais detalhes.

Marcadores:








terça-feira, 5 de outubro de 2010
Un cappuccino quasi all’italiana


O cappuccino tem origem italiana, dos frades cappuccinos ou capuchinos (Brasil), de origem franciscana. O nome desta bebida remete aos frades por remeter à cor dos seus hábitos e o círculo marrom do café, lembra o corte de cabelo utilizado pelos mesmos.

A receita original italiana possui somente leite e café espresso em sua composição. O uso de canela e chocolate é uma variação comum no Brasil, porém não mundialmente.

Pode parecer um pouquinho complicado preparar a receita original, mas com boa vontade você consegue!

Obter a espuma de leite ,por incrível que pareça,é o mais complicado.


O leite é um dos principais parceiros do nosso café do dia a dia, estando presente diariamente na maioria dos lares brasileiros. O mesmo é um dos principais ingredientes para o preparo de bebidas com café, como o capuccino, porém deve receber um tratamento especial para aproveitarmos todo o sabor e textura da bebida, pois o leite puro não tem uma harmonia muito grande com o café espresso antes de passar pelo processo de vaporização.

Antes de falar mais sobre esta técnica, é muito importante falar sobre a escolha do leite. É indispensável a utilização de um leite integral de boa qualidade (Tipo A), pois o mesmo terá a doçura e cremosidade desejadas.

Pode-se vaporizar o leite com máquinas domésticas (onde dificilmente se obtém a mesma cremosidade daquele que se toma na cafeteria). Há ainda máquinas com vaporizador automático ou a opção de esquentar a bebida e colocá-la em uma cremeira. Outra, mais caseira, é também esquentar e bater com um mixer. Tecnicamente, nem a cremeira nem o mixer preparam leites vaporizados, apenas dão uma textura cremosa.

A vaporização é uma técnica onde se coloca um jato de vapor em um recipiente com leite para obter mais cremosidade e fazer espuma de leite.

Para vaporizar o leite, devemos ter alguns acessórios que irão nos ajudar, como é o caso da leiteira. Quanto maior for a quantidade de leite vaporizado, maior deve ser a leiteira, porém eu prefiro uma leiteira pequena para ter mais controle no processo e não ferver o leite, acima da temperatura ideal. A temperatura ideal de vaporização é abaixo de 70ºC,  fácil de ser identificado: é o ponto máximo que você conseguirá segurar a leiteira sem queimar a mão.

Uma dica importante é sempre usar leite gelado na vaporização, pois o creme ficará mais consistente e mais firme, e nunca juntar leite fresco ao que já foi vaporizado, pois a formação do creme só se dá uma única vez.

A Vaporização

1-Acione o vaporizar de sua cafeteira e deixe-o ligado até que saia somente vapor, sem água. (Este processo demora mais em máquinas domésticas)

2-Insira a leiteira abaixo do bico do vaporizador, com este submerso no leite (uns 3cm) e abra totalmente o vapor.

3- O leite começará a se expandir, vá baixando aos poucos a leiteira. O leite praticamente deverá ter dobrado de volume.

4- Agora afunde o vaporizador completamente na leiteira, a incline e faça com que o leite se misture totalmente para que fique uniforme: sem separação de espuma e leite.

5- Desligue o vaporizador e mexa a leiteira para eliminar as bolhas, você poderá bater a base a leiteira para ajudar na homogeinização




Cappuccino Tradicional




1- Faça um leite vaporizado.

2- Faça um expresso como de costume, em uma xícara ou shot glass apropriados para café.

3- Pegue uma xícara para cappuccino, adicione o café e posteriormente o leite vaporizado. Basta servir.

(Uma colher pode ser utilizada para auxiliar a retirar a espuma de leite)


Existem variações deliciosas para o tradicional capuccino. A receita do Café Nutella Macchiato por exemplo, é oferecida pelo V. Café, no interior da Livraria Cultura, um dos meus lugares preferidos em Sampa.


Café Nutella Macchiato




Ingredientes:

1 dose de café expresso 50 ml
100ml de leite vaporizado (quente)

Decoração e finalização:

1 colher (sopa) de Nutella
Espuma de leite

Preparo:

Vaporizar o leite (o leite deve estar gelado para formar a espuma cremosa e firme. Pode-se utilizar uma cremeira como auxílio para se obter uma espuma mais cremosa). Reservar
Passar a Nutella na taça com a ajuda de uma colher.
Tirar o café expresso numa xícara e colocar o mesmo na taça.
Derramar o leite vaporizado, com cuidado, na taça.
Completar com a espuma de leite.

Marcadores: ,