<META content="MSHTML 6.00.2900.2604" name=GENERATOR><!-- --><style type="text/css">@import url(https://www.blogger.com/static/v1/v-css/navbar/3334278262-classic.css); div.b-mobile {display:none;} </style> </HEAD><BODY><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d8940721423393911285\x26blogName\x3dCoisas+de+uma+Chef\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://coisasdeumachef.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_BR\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://coisasdeumachef.blogspot.com/\x26vt\x3d8704643840310654996', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
domingo, 28 de novembro de 2010
Pudim de Leite Condensado com segredos


O post hoje é uma homenagem a meu pai, que completaria neste dia 72 anos. Pudim de leite condensado era a sobremesa preferida dele.Fazem 21 anos que ele se foi, mas todos os dias TUDO me faz lembrar dele. Pudim de leite condensado então, nem se fala! Sempre que minha mãe fazia, depois de comer mais de meio ele levantava da mesa sempre com a mesma desculpa: " Deixa eu parar senão vou engordar..."...rs

A receita que uso é sempre esta:


Ingredientes:

Calda:
1 xícara de açúcar

Pudim:
1 lata de leite condensado
2 medidas (usar a lata do leite condensado) de leite
3 ovos grandes ou 4 pequenos
gotas de baunilha

Modo de Preparo:

Calda:

Coloque o açúcar na própria forma do pudim (18cm de diâmetro e 7cm de altura) e leve ao fogo para derreter.
Segure a forma com uma luva de silicone ou um pegador próprio. Mexa com colher de pau até que o açúcar fique na cor de caramelo.
Tire do fogo e com auxílio da colher de pau espalhe um pouco da calda nas laterais.
Reserve.

Pudim:

Bata todos os ingredientes do pudim no liquidificador. Não bata muito.
Coloque na forma que já está com a calda.
Cubra a forma com papel alumínio e asse em banho-maria em forno 160 graus até que enfiando uma faca saia úmido, mas sem a massa do pudim grudado.
O pudim assa entre 1:00h e 1:30h. Depende de cada forno. Deixe esfriar completamente, leve para a geladeira e desenforme depois de bem gelado.

Banho-maria:

Coloque uma vasilha com água para ferver.
Quando estiver fervendo coloque em uma forma alta.
Coloque a forma do pudim dentro desta água quente e leve ao forno para assar.O ideal é deixar a forma de fora com água até 2/3 da altura da forma do pudim.

Rendimento: 6 porções






Alguns segredos para o pudim sair sem furinhos:

O pudim perfeito é aquele que não possui furinhos.Para que ele fique assim, após bater deixe a mistura descansar por 15 minutos (com esta espera a espuma fica sobre a superfície, o pudim fica sem furinhos, mas macio). Com a ajuda de uma colher segure a espuma que está na superfície e despeje o conteúdo do liquidificador, com cuidado, na fôrma caramelada.

Passar do tempo no forno também pode provocar furinhos na massa. Esses furos aparecem quando o pudim passa do ponto no forno.Se seu pudim sair com furos e você não desejar isso, então da próxima vez reduza o tempo de forno.

Algumas pessoas sentem cheiro de ovo no pudim. Se isso ocorrer, da próxima vez separe as gemas das claras e peneire as gemas, junte as claras novamente e bata todos os ingredientes do pudim no liquidificador.






Mas algumas pessoas gostam do pudim todo furadinho...Para você conseguir um pudim com bastantes furinhos, leve ao forno em banho-maria com a água já quente e deixe cozinhar bastante tempo. Quanto mais tempo cozinhar, mais furinhos terá.

Marcadores: , , ,








quarta-feira, 24 de novembro de 2010
Limão, santo....o nome não importa! o que importa é o cheiro!

Capim-limão, também conhecido por Capim santo ou Capim cidreira é uma planta herbácea da família das gramíneas, nativa das regiões tropicais da Ásia. São muitos os nomes do capim-limão (santo, cheiroso, de cheiro, cidrilho). Mas atenção: não confunda com a erva-cidreira. Por ter sabor parecido, também é chamado de capim-cidreira e falsa-erva-cidreira, mas são plantas diferentes.

É uma planta medicinal, usada em medicina popular, sendo, para esse efeito, utilizadas as folhas que, em infusão, têm propriedades febrífugas, sudoríficas, analgésicas, calmantes, anti-depressivas, diuréticas e expectorantes, além de ser bactericida, hepatoprotetora, antiespasmódica, estimulante da circulação periférica e estimulante estomacal e lácteo. Os compostos químicos a que se devem estas propriedades são o citral, geraniol, metileugenol, mirceno, citronelal, ácido acético e ácido capróico. Tais componentes e, mais especificamente, o citral dão-lhe um aroma semelhante à lúcia-lima, bela-luísa ou limonete (Aloysia triphylla). Da sua inflorescência extrai-se um óleo essencial utilizado em repelentes de insetos.



Perfume e sabor são os atributos do capim-limão. O condimento enche de personalidade os mais diversos pratos. Seu chá é delicioso. E por estes motivos, frequenta os cardápios e a cozinha. E o perfume é inspirador.


Ele é muito usado na culinária oriental, principalmente na tailandesa. É uma cozinha muito forte, rica em cheiros, temperos. E o capim-limão é um deles, dá um sabor inconfundível.

A planta asiática chegou ao Brasil na época colonial e se adaptou muito bem ao clima tropical.

Peixes, frutos do mar e sobremesas caem bem com o ingrediente. Embora suas folhas sejam as mais usadas por aqui, o talo e a raiz também são aproveitados. Até mesmo o talo do capim dá um aroma muito diferente aos pratos.


Veja abaixo algumas sugestóes de como usá-lo em diversas situaçoes.

Vinagrete com capim-limão

Fica uma delícia para acompanhar bolinho de feijáo!





Ingredientes:

1 xícara de suco de laranja
1/2 xícara de azeite
8 folhas de capim-limão
2 colheres (sopa) de vinagre branco

1 colher (sopa) de farinha de trigo

1 colher (sopa) de mostarda Dijon

Sal e pimenta-do-reino branca a gosto




Modo de preparar


Coloque o capim-limão em uma panela com meio litro de água. Leve ao fogo por dez minutos ou até obter um chá bem concentrado, retire do fogo, coe e reserve. Aqueça o azeite em outra panela, polvilhe a farinha de trigo e doure-a. Retire do fogo. Junte a fusão de capim-limão, o suco de laranja, a mostarda, o vinagre, o sal e a pimenta. Volte ao fogo e cozinhe, mexendo com um batedor manual por dez minutos ou até a mistura ficar levemente encorpada. Acerte o sal e retire do fogo. Se preferir; coloque um pouco de capim-limão picado finamente durante o cozimento.


Espetinhos de frango thai com capim limão



Ingredientes


•11 talos de capim limão
•2 peitos de frango
•2 dentes de alho
•1 pimenta dedo-de-moça
•2 colheres (chá) de coentro picado
•1 colher (chá) de açúcar mascavo
•1 colher (chá) de sal

Molho

•125 ml de vinagre de arroz
•125 g de açúcar granulado (confeiteiro)
•2 dentes de alho picados
•2 pimentas dedo-de-moça
•½ colher (chá) de sal
•¼ de pepino picado
•1 colher (chá) de coentro picado



Modo de preparo

•Junte os talos de capim limão de 10 cm cada
•Separe um capim limão, descasque e pique.
•Guarde os outros 10 talos.
•Junte o talo picado de capim limão, frango, alho, pimenta, coentro, açúcar e sal no processador.
•Divida em 10 porções iguais.
•Com a mão molhada faça bolinhas redondas.
•Espete as bolinhas nos 10 talos de capim limão.
•Deixe na geladeira por 30 minutos.
•Grelhe cada espeto em uma panela.
•Sirva quente.



Molho


•Ferva o vinagre e o açúcar por 5 minutos até ficar grosso.
•Misture com o alho, pimenta, sal, pepino, coentro em outra cumbuca e deixe esfriar.
•Grelhe o frango e servir quente.



Pudim de brigadeiro e creme de capim-limão





Ingredientes

 

Creme de capim-limão:

•5 gemas
•1/2 xícara (chá) de açúcar mascavo
•1 xícara (chá) de leite
•Folhas de capim-limão à gosto

Pudim:


•350grs de chocolate meio amargo
•1 xícara (chá) de manteiga
•5 claras
•5 colheres (sopa) de açúcar refinado
•5 gemas peneiradas

Modo de preparo

 

Creme de capim-limão:

 

•Bata as gemas e o açúcar até obter um creme.
•Ferva o leite com o capim-limão e coe.
•Junte a gema batida e leve ao fogo baixo, mexendo sempre até engrossar.
•Deixe esfriar e reserve.

Pudim:



•Aqueça o forno a 150º.
•Derreta o chocolate com a manteiga em banho maria.
•Bata as claras até espumar, junte o açúcar e a gema peneirada e bata bem.
•Adicione a mistura de chocolate.
•Coloque nas forminhas e asse em banho maria por 35 minutos ou até ficar firme.
•Deixe amornar e leve para gelar por duas horas.
•Desenforme o pudim com cuidado para não quebrar, cubra com chocolate granulado e sirva com o creme de capim-limão.



Rendimento: 8 porções

Marcadores: ,








sábado, 20 de novembro de 2010
Tapenade



A tapenade é um prato que tem como base azeitonas, alcaparras e azeite de oliva. Os ingredientes são bem picados, amassados ou processados e o azeite é adicionado para formar uma pasta. Além disso, alguns ítens podem ser adicionados variando com a região, entre eles alho, anchovas, suco de limão ou brandy.

É  servida geralmente como um aperitivo antes da refeição.

Ela é originária da região da Provença no sudeste da França, no mediterrâneo e faz fronteira com a Itália. O nome tapenade vem de tapeno, que em provençal quer dizer alcaparra. Há muitas versões caseiras e cada pessoa dá seu toque especial. O bom é que é fácil, mas muito saborosa. Ah, faça com antecedência. Curtida uns dias na geladeira, a tapenade fica muito melhor.

TAPENADE

Ingredientes:
200g de azeitonas pretas
50g de alcaparras
50g de filé de anchova
1 dente de alho
1 colher (café) de conhaque
100 a 150 ml de azeite (use mais ou menos conforme desejar)

Modo de preparo:

Processar as azeitonas, o alho, as alcaparras e a anchova. Juntar o conhaque e depois o azeite em fio, mexendo sempre até obter um purê. Servir com pão, torradas, queijo, como molho de macarrão, como acompanhamento de legumes ou como tempero para salada de batata.

Obs.: as quantidades de azeitona/alcaparra/anchova variam de receita para receita e dependem do sabor que você quer dar à tapenade - mais ou menos intenso. Há receitas que usam a proporção 200g de azeitona + 100g de alcaparra + 100g de filé de anchova. Adapte a sua ao sabor que mais lhe agradar.

As azeitonas pretas podem ser substituídas por azeitonas verdes. Também é possível fazer uma mistura meio a meio para suavizar o sabor das azeitonas pretas.

Outras opções de tempero: tomilho, mostarda, manjericão, suco de limão, ervas de Provence. Algumas tapenades usam também atum em conserva.

Eu segui a indicação do David Leovitz, receita da Carrie Brown, e adicionei figos secos à tapenade, além de alho e suco de limão. O resultado foi sensacional! É impressionante como o figo combina bem com as azeitonas pretas.


Tapenade de Azeitonas Pretas e Figo Seco

Original em inglês

Ingredientes:

    * 1/2 xícara (90 gr) de figos secs sem o cabo
    * 3/4 xícara (80 ml) de água
    * 1 xícara (150 gr) de azeitonas pretas escorridas e picadas (use a de melhor qualidade que puder)
    * 1 1/2 colher de sopa de sudo de limão siciliano
    * 2 colheres de chá de mostarda com grãos
    * 1 dente de alho pequeno descascado
    * 1/2 colher de sopa de alcaparras, lavadas, escorridas e espremidas para ficarem secas
    * 1 colher de chá de alecrim ou tomilho fresco picado. (usei tomilho)
    * 1/2 xícara (150 ml) de azeite de oliva extra-virgem
    * pimenta do reino preta
    * sal, se nescessário

Preparo:

   1. Numa panela média, cozinhe os figos com água em fogo bem baixo sem deixar a água ferver por cerca de 30 minutos, até que estejam bem macios. Coe e reserve o líquido.
   2. Se for usar um processador: coloque no processador as azeitonas, figos, suco de limão siciliano, mostarda, alho, alcaparras e a erva fresca (alecrim ou tomilho) e pulse para criar uma pasta grossa/consistente. Vá colocando o azeite de oliva aos poucos até atingir uma consistência suave e a seu gosto. Tempere com pimenta e se necessário, sal. Se você quiser a pasta menos conistente, use um pouco da água do cozimento do figo.
   3. Se for fazer manualmente num pilão: amasse no pilão as azeitonas com a mostarda, alho, alcaparras e a erva fresca (alecrim ou tomilho). Coloque então os figos e amasse. Assim que estiver uma pasta, adicione o sudo de limão siciliano, o azeite de oliva e tempere com pimenta e, se necessário, sal e água do cozimento do figo.



Uma outra versão:



TAPENADE DE TOMATE SECO

100g de tomate seco
100g de azeitonas verdes (sem o caroço)
80g de pinoles
50g de alcaparras
1 fatia de pão italiano sem casca
3 colheres (sopa) de azeite
1 colher (sopa) de vinagre
1 dente de alho
½ colher (café) de pimenta-do-reino

Processar os ingredientes sólidos e juntar os líquidos pouco a pouco até obter uma pasta.

Marcadores: ,








sexta-feira, 19 de novembro de 2010
Festival de Jabuticabas de Sabará



Conhecida como ouro negro de Sabará, a jabuticaba tem seus dois dias de fama em Minas. Dias 20  e 21 de nobembro, acontece o 24º Festival da Jabuticaba,onde os visitantes podem disfrutar de diversos produtos derivados da fruta. 

O evento acontece na Praça de Esportes a partir das 10h, com ingressos ao preço de R$3,00.

Serão mais de 30 stands de derivados da doce pretinha: bombons, licores, geleias, bolos etc.

Acontecem também alguns FESTINS:

Jabutinata (serestas, poesia e produtos da jabuticaba) np Espaço Cultural e de tradições Grastronômicas, no bairro Adelmolândia. (31) 3671-3241

Jabuticaba Gourmet (café colonial, almoço especial e jantar gourmet com pratos finas à base de jabuticaba) - Hotel Solar São Francisco - (31) 3671-3040

Primor do Quintal - dia 27 de novembro - R. José Vaz Pedrosa, 175 Bairro Pompéu.

Prato de entrada, principal e sobremesa à base de jabuticabas preparadas pelo chef. (ingressos antecipados)

Mais informações: ww.sabara.mg.gov.br // www.turismosabara.com.br

Centro de atendimento ao turista: (31) 3672-7690 // 3671-1403



Árvore típica do Brasil, a Jabuticabeira (Myrciaria Cauliflora) produz frutos roxos utilizados medicinalmente e na fabricação de extratos para corante de vinhos, vinagres etc. A madeira, por ser muito resistente, é utilizada para vigamentos, esteios, dormentes etc.

O Festival de Sabará :

Antigamente era comum o "aluguel" de pés de jabuticaba nos quintais da cidade. Com o tempo, algumas pessoas passaram a agir de forma inadequada danificando a árvore com a quebra de vários galhos, jogando a fruta no chão e outras atitudes inconvenientes. Devido a este fato, muitas famílias foram deixando de alugar os pés e hoje poucas são as que utilizam este artifício para melhorar seu orçamento doméstico, preferindo proteger a jabuticabeira, conforme dizem.

O Festival da Jabuticaba de Sabará foi criado com o objetivo de resgatar não somente a tradição de Sabará como "terra da jabuticaba". Resgata também as receitas de vinhos, licores, geleias e outros derivados que vieram passando de geração em geração, enriquecendo a mesa de tradicionais famílias. Os produtores contam hoje com uma estrutura de barracas rústicas, instaladas na Praça de Esportes, facilitando a exposição e comercialização dos produtos.

Segundo os organizadores, uma das grandes dificuldades para programar o Festival da Jabuticaba está em definir a época de maior produção da fruta. Segundo o secretário de Turismo, Eustáquio Zarlei Starling de Almeida, "a primeira produção é geralmente utilizada pelas doceiras tradicionais na elaboração dos derivados, principalmente as balas, compotas e geléias já que os vinhos e licores de melhor qualidade demandam um prazo de no mínimo um ano para apurar". De acordo com o secretário, a variação climática com atrasos nas chuvas, queda ou elevação acentuada do calor, ventos fortes, influenciam de forma drástica a produção, razão pela qual torna-se difícil definir a data do Festival da Jabuticaba com grande antecedência. Uma sugestão que se faz aos visitantes para a aquisição da fruta é provar o produto antes de adquirir e procurar saber sua procedência. Com relação ao preço o que é sugerido é a pesquisa.

Que tal experimentar uma das receitas abaixo feitas com a deliciosa frutinha? :



GELÉIA DE JABUTICABA

Em um tacho de cobre estoure uma certa quantidade de jabuticaba e leve ao fogo sem deixar ferver. Coe em uma peneira de taquara ou plástico (esprema para melhor aproveitamento). Em seguida, para cada medida de suco, adicione uma mesma medida de açúcar. Leve ao fogo (no tacho de cobre) até o ponto de geleia e condicione me vidros bem esterilizados. Observação: para saber o ponto certo, faça o seguinte : coloque em um copo de vidro até a metade de álcool puro, em seguida coloque uma pequena quantidade da geleia. Se espalhar ou misturar-se ao álcool, ainda não está no ponto. Caso permanecer como uma bola consistente, está no ponto ideal.

 
Bombom de Jabuticaba

De véspera, levar ao fogo o leite condensado, o leite de coco, a manteiga e o coco ralado, até que a mistura se solte da panela. Deixar na geladeira de um dia para o outro. No outro dia, enrolar o doce e, com o dedo indicador, fazer um furo na massa e pôr uma colher (chá) da geléia em cada bombom. Fechar o doce e deixar na geladeira por 30 minutos. Derreter o chocolate em banho-maria. Desligar o fogo e esperar que o chocolate fique à temperatura ambiente. Com um garfo de dois dentes, passar os bombons no chocolate derretido, um a um. Deixar esfriar e servir.








Marcadores: , , ,








terça-feira, 16 de novembro de 2010
Cupcake: a nova paixão nacional


O cupcake virou febre e está ganhando espaço nas festas infantis, chás de bebê e casamentos. Em muitos casos chegam a substituir os tradicionais bem-casados. Pequeninos, saborosos e delicados, a paixão americana começa se tornar uma paixão brasileira.

Os cupcakes são minibolos confeitados com coberturas divertidas e com tom infantil. Decorados de diversas maneiras, ficam atraentes e se tornam um diferencial em qualquer festa, até casamentos. Ótima idéia para enfeitar a mesa de Páscoa, Natal ou divertir as crianças nas férias e aniversários. Os adjetivos são os mais variados possíveis, mas o resultado é sempre o mesmo: todo mundo se derrete diante de um cupcake.  E ainda viraram uma alternativa perfeita para presentear. Não existe um consenso sobre a origem do cupcake, mas  alguns especialistas creditam à culinarista americana Eliza Leslie, que em 1928 registrou a receita em um livro.

Acredita-se que a origem do nome cupcake, que em português significa "bolo de xícara" , faça referência às medidas da receita que passaram a ser feitas pela quantidade de xícaras de cada ingrediente, o que facilitou a vida das donas de casa.

Em 1996, foi aberta a primeira cupcakeria em Nova York que auxiliou na ascensão do cupcake. Marcado em cenas de filmes hollywoodianos, como "O Diabo Veste Prada"; "Mulheres Perfeitas" e "Sex and the City", o cupcake se tornou fonte de renda para culinaristas e apaixonados por gastronomia.

Ainda existe uma confusão entre o cupcake e o muffin. A diferença está na massa, pois a textura da massa do cupcake é mais leve, similar à de um bolo macio.

No Brasil, a receita do cupcake foi adaptada ao nosso paladar. Enquanto que os bolinhos tradicionais americanos são cobertos por um creme amanteigado, os brasileiros optam por outras coberturas e recheios, como de brigadeiro e coco.

Tão charmosos e tão práticos: os cupcakes são assim!! É claro que você pode soltar a imaginação e criar as mais diferentes decorações, mas é superfácil preparar os tais minibolos em casa.

Basicamente, você escolhe a massa básica - pode ser a do bolo de chocolate que você mais gosta ou de cenoura ou de laranja ou alguma outra de sua preferência  - que, depois de preparada, é assada em formas especiais (muito parecidas com as de empadinhas). O importante é colocar uma forminha de papel dentro da de alumínio. Aí é só levar para o forno e esperar a delícia ficar pronta.

Quando o bolinho estiver pronto, a brincadeira na cozinha continua com a decoração. Um recurso muito adotado nesse momento é a pasta americana, feita basicamente com açúcar impalpável, gelatina incolor, glicose e glicerina - calma! Ela também pode ser encontrada pronta em lojas que vendem artigos para festa ou até em supermercados. Merengue, confeitos e chocolatinhos também são muito bem-vindos.

E pra quem gosta de cozinhar, aí está uma boa chance de tirar um extra no fim do mês. As encomendas de cupcakes só aumentam nas docerias e há muita gente reforçando o orçamento com os minibolos.
 
Que tal agora correr para a cozinha e tentar criar a sua versão?!
Cupcake de brigadeiro
(20 unidades)

Ingredientes:

200 g de manteiga sem sal
2 ½ xícaras (chá) de açúcar
3 ovos
1 xícara (chá) de cacau em pó peneirado
2 xícaras (chá) de farinha de trigo peneirado
1 colher (sobremesa) de fermento em pó peneirado


Cobertura:

3 latas de leite condensado
12 colheres (sopa) de chocolate em pó
3 colheres (sopa) de manteiga sem sal
1 xícara (chá) de amêndoas laminadas

Modo de preparo:

Na batedeira coloque a manteiga em temperatura ambiente e o açúcar. Junte os ovos e continue batendo até formar um creme leve. Adicione o cacau em pó e a farinha de trigo e continue batendo em velocidade baixa. Desligue. Adicione o fermento e misture com uma espátula de bolo. Distribua a massa em forminhas de cupcake e asse em forno médio (180º) por cerca de 15 minutos. Retire do forno, deixe esfriar e reserve. Para a cobertura, leve ao fogo o leite condensado, o chocolate e a manteiga e mexa até desgrudar do fundo da panela. Retire e transfira para um recipiente untado com manteiga. Deixe esfriar e reserve. Coloque em um saco de confeitar e cubra os cupcakes. Decore com amêndoas ou granulado.

Marcadores: , , , ,








domingo, 14 de novembro de 2010
Trufa de 900 gramas é leiloada na Itália por quase R$ 250 mil



Para saber mais, clique aqui

Para conhecer a trufa branca de Alba, clique aqui...

E vamos curtir o feriado!

Marcadores: ,








Vai um arancini aí?



Arancini ou arancine são bolas de arroz fritas, empanadas, com origem na Sicília no século X. Arancini geralmente são recheados com ragu (molho de carne), molho de tomate , mussarela , e / ou ervilhas .


O principal tipo de arancini vendido nos cafés da  Sicília são com ragu, que tipicamente consistem de carne, ervilhas, arroz e mussarela. Muitos cafés oferecem também arancini com manteiga, ou arancini com funghi (cogumelos) e berinjela.


Há um número de variantes locais que diferem no preenchimento e na forma. Na cozinha romana, os arancinis são similares, mas geralmente recheados com queijo.  Em Nápoles,  são chamados bolas de arroz.


Aqui no Brasil arancini são nada mais, nada menos do que bolinhos de arroz. A diferença é que são feitos com arroz arbório, de sobras de risotos. O primeiro passo é comer  seu risoto quentinho, que acabou de derreter a manteiga, e guardar o restinho da panela, por dois dias.

Pra dar uma noção de medida, vamos falar 300 gramas de sobras.Depois disso acrescente um ou dois ovos e misture bem. Faça alguns cubos com o queijo de sua preferência.Pegue uma colher de sopa cheia da mistura de risoto e faça uma bolota, deixando uma cavidade para o cubinho de queijo. Feche bem e passe o bolinho na farinha de trigo, levemente.
Bata dois ovos e banhe as bolotas. Passe por um pouquinho de farinha de rosca e leve à geladeira por cerca de 1 hora.
Frite em óleo de canola bem quente. É só o tempo de dourar a casquinha, pois o recheio já está cozido.

É claro que nesta hora a cervejinha já deve estar gelada...

Deixo abaixo uma receita com foto do meu grande amigo Zeca, da comunidade Comidinhas de Buteco


Dicas do grande Chef Zeca

Procedimentos:

Preparar o risoto conforme a maneira usual, pode ser usado também arroz carnaroli. Espalhar o risoto em uma travassa e levar à geladeira por algumas horas.

Como você vai deixar o risoto na geladeira para aglutinar bem para poder enrolar, é possível até usar por exemplo arroz para sushi que é bem mais barato, depois de frito, será difícil perceber a diferença.

Cortar o queijo padrão em cubinhos de aproximadamente 1 cm (deverá pesar cerca de 1 gr cada cubinho)

Colocar 2 ovos em vasilha e misturar com fouet, adicionar 50 ml de água para cada ovo.

Preparar uma linha de produção com o primeiro prato com a farinha panko, o segundo prato (fundo) com os ovos diluidos e o terceiro prato com a farinha panko (conforme foto)

Com uma colher pegar uma quantidade de risoto que dê para envolver o cubinho de queijo e enrolar com as mãos.

Passar no primeiro prato envolvendo o bolinho com a farinha, no segundo molhar com o ovo (deixar escorrer) e passar para o terceiro prato envolvendo o bolinho do modo que não fique com aparência de úmido.

Fritar por imersão em óleo à 180º. Dourar, retirar e deixar em papel toalha para retirar o excesso de óleo

Servir quente para que o queijo ainda esteja derretido.
 
 
Arancini de gorgonzola



Arancini de gorgonzola



Por Joarez Machado, chef do restaurante Amicci Per Piatto


Ingredientes:


Risoto
250 g de arroz arbóreo
100 g de queijo gorgonzola
½ cebola picada
2 dentes de alho amassados
140 ml de vinho branco seco
500 ml de caldo de legumes fervente
50 g de manteiga
2 ovos
farinha de trigo suficiente para empanar
farinha de rosca suficiente para empanar
azeite a gosto
sal e pimenta a gosto


Creme de queijo
1 litro de creme de leite fresco
250 g de queijo mussarela
200 g de queijo parmesão
200 g de queijo gorgonzola


Preparo:


Risoto
Em uma panela coloque o azeite, doure o alho e a cebola, coloque o arroz e deixe fritar. Acrescente o vinho e a metade do caldo de legumes, mexa constantemente. Em seguida coloque o gorgonzola e sempre que começar a secar adicione aos poucos a outra metade do caldo de legumes. Quando o arroz estiver no ponto de risoto (al dente), desligue o fogo e acrescente a manteiga, mexa bem e reserve até esfriar.
Para finalizar faça bolinhas de 150 g como se fossem empadas e empane-as na farinha de trigo, nos ovos batidos e na farinha de rosca.
Frite em óleo quente a 140º C.


Creme de queijo
Acrescente todos os ingredientes em uma panela e mexa até que forme um creme.


Montagem do prato:
Em um prato disponha o creme de queijo e por cima o bolinho de risoto, Acompanhe com escalope de mignon.


Rendimento: 5 porções.


Restaurante Amicci Per Piatto


Rua Brigadeiro Franco, 2.300 - Shopping Curitiba - Largo Curitiba - Centro


Fone: (41) 3223-3223

Marcadores: , ,








sexta-feira, 12 de novembro de 2010
Arroz de leite... um pouco de história




Podemos comer arroz doce nos quatro cantos do mundo, mas não há recanto em Portugal onde não se faça este doce, tão típico quanto diferente, dependendo de quem o prepara.Aqui no Brasil, o mesmo pode ser chamado de arroz de leite ou arroz doce.
Desde o século VI a.C.  há registos de arroz cozido em leite com açúcar. A chegada da cana-de-açúcar da Índia ao Médio Oriente, onde já se cultivava o arroz, marca a origem desta especialidade que perdura até aos nossos dias.
É possível imaginar que, muito antes, estes alimentos coexistiam na Índia e que, inclusivamente na Ásia, substituído o leite de origem animal pelo leite de coco, este doce era saboreado desde os tempos mais remotos.
Posteriormente, a fama do arroz doce espalhou-se rapidamente por toda a Europa e a cor dourada que o melaço lhe conferia passou ao branco característico, já no século XIII, quando se começou a utilizar açúcar refinado.

O século XVIII marca o momento do batismo desta sobremesa, que revela todo o seu encanto em todos os livros de receitas europeus.
Durante os últimos vinte e seis séculos, o arroz cozido em leite com açúcar conservou praticamente intacta a sua essência original.

A sobremesa de arroz doce em Portugal reflete esse desejo de manter vivas as doces tradições ancestrais. Servi-lo no final do almoço de domingo, ou em qualquer acontecimento digno de celebração, significa venerar um costume antigo e honrar os dias festivos.
As inúmeras referências revelam esta aliança do arroz doce e determinadas datas do calendário.Sirva de exemplo o Natal que, nas aldeias e cidades portuguesas, é muito acarinhado nas suas tradições, convertendo a gastronomia no eixo central sobre o qual gira a celebração. Deste modo, e antes de se ir à popular Missa do Galo, não falta o prato de arroz doce e os doces conventuais que são com frequência servidos após um vistoso bacalhau cozido.
Outro momento em que o arroz doce aparece é em muitas bodas portuguesas. Trata-se não só da sobremesa principal da ocasião, como é típico a família dos noivos oferecer arroz doce aos seus convidados uns dias antes da cerimónia. Atualmente, subsiste o mito de que a quantidade de arroz doce com que se recebe os convidados é proporcional ao grau de parentesco.
Desde o aroma que lhe é oferecido pela canela, passando pelo toque sutli que a casca de limão lhe dá, e terminando na porosidade que o ovo lhe confere, o arroz doce português admite, na sua preparação, pequenas variantes que permitem personalizá-lo e torná-lo único em cada mesa.

Abaixo seguem duas variações de receitas, ambas deliciosas!


Arroz Doce

Ingredientes:

4 xícaras de água
Uma pitada de sal
Casca ralada de 1/2 limão
4 folhas de laranjeira
1 xícara de arroz
8 xícaras de leite
1 xícara de açúcar
1 colher (sopa) de manteiga
8 gemas levemente batidas
Canela em pó para polvilhar.

Modo de preparo:

Em uma panela, coloque água, sal, casca de limão, folhas de laranjeira, leve ao fogo alto, deixe ferver, acrescente arroz e cozinhe até secar a água.
Em outra panela, ferva o leite com açúcar em fogo alto, junte manteiga e deixe derreter.
Quando a água do arroz secar, junte o leite quente aos poucos e mexa com uma colher de pau até o arroz ficar bem cozido, quase desmanchando.
Em uma tigela, junte as gemas e 1/2 xícara do arroz cozido, despeje sobre o arroz na panela e cozinhe, mexendo sempre, por cerca de 5 minutos ou até obter uma creme amarelo.
Tire do fogo, despeje em uma travessa ou em pratinhos individuais, polvilhe canela em pó e sirva morno ou frio.

Rendimento: 6 porções.


Arroz Doce




Ingredientes:

2 litros de leite
2 copos (americano) de arroz cru
1 copo (requeijão) de açucar
1 lata de leite condensado
1 lata de creme de leite
canela em pó


Modo de preparo:

Ferver todo o leite em uma panela grande. Quando levantar fervura, desligue o fogo e coloque o arroz, ja lavado e seco,mexa bem para poder dissolver todo o arroz, tampe e deixe descansar por uma hora. Vá mexendo de vez em quando para que o arroz nao empelote. Em outra panela, faça uma calda com o açucar,sem deixar queimar, para nao amargar o doce. Ligue novamente o fogo da panela de arroz e acrescente a calda, nao pare de mexer,acrescente tambem o leite condensado e mexa sempre, para nao grudar no fundo, deixe ficar com uma conscistencia grossa,cremosa, entao despeje o creme de leite mexa bem e desligue.
Esta pronto para servir, quente ou gelado.

E você... como faz o seu?!

Marcadores: , ,








terça-feira, 9 de novembro de 2010
TOURNEDOS ROSSINI








HISTÓRIA



O controvertido e imortal compositor Gioacchino Antonio Rossini (1792-1868) notabilizou-se por criar obras-primas não apenas no terreno da ópera, onde é o autor entre muitos clássicos, de O Barbeiro de Sevilha. No campo da gastronomia, é ele o responsável pelo inconfundível sabor dos Tournedos Rossini, prato que marca presença nos mais elegantes cardápios mundo afora.

O compositor sempre foi apaixonado por trufas e foie gras, presentes em quase todas suas incursões na cozinha. O tournedos que leva o seu nome teria surgido no hoje extinto Café Anglais, que funcionava no Boulevard des Italiens, em Paris. Indo jantar depois de suas apresentações, Rossini pediu ao chefe Marcel Magny que desse forma concreta a um de seus delírios culinários. Mandou colocar sobre um medalhão de filet mignon uma fatia de foie gras e trufas laminadas. Contrariado por ter que atender ao extravagante pedido do cliente ilustre, Magny executou o prato; fez porém, questão de escondê-lo dos outros comensais e pediu ao maitre que o servisse de costas para a sala - em língua francesa "en tournant le dos", o que deu origem ao nome "tournedos".


INGREDIENTES



2 medalhões de filet mignon com 200g cada


½ xícara de chá de trufas fatiadas


2 medalhões de foie gras com 100g cada


1 xícara de chá de molho demi-glacê


2 fatias de pão de forma


Sal, pimenta do reino e manteiga à gosto



MODO DE FAZER



1) Em uma frigideira de fundo grosso, doure os tournedos em um pouco de manteiga. 1 minuto de cada lado.


2) Tempere com sal e pimenta e reserve em lugar aquecido.


3) Na mesma frigideira, passe rapidamente as fatias de pão de forma. Também reserve em lugar quente.


4) Continuando com a mesma frigideira, despeje o molho e as trufas mexendo delicadamente até ferver.


5) Monte o prato colocando as fatias de pão, os tournedos, os medalhões de foie gras e o molho por cima.

É impossível náo gostar...

Marcadores: ,








sábado, 6 de novembro de 2010
Almoço de domingo




Domingo é sempre gostoso cozinhar para reunir a família ou amigos em casa para um farto, demorado, preguiçoso porém animado almoço. Afinal, existe coisa melhor do que reunir pessoas de quem se gosta para jogar conversa fora, enquanto come-se e bebe-se bem?
Que tal entáo aproveitar que amanhá é domingo?!
As dicas abaixo de como organizar um almoço de domingo sem complicações foram extraídas daqui e podem ser muito úteis:

   1. CONVIDADOS: Se é a primeira vez, comece com um número pequeno, como três convidados além de você. Chame-os com uma semana de antecedência, para que todos possam confirmar e para que você possa se planejar; mas deixe claro de que é um almoço fechado, que você está fazendo especialmente para aquelas pessoas. Se em sua casa seus amigos e familiares estão acostumados ao esquema "sempre cabe mais um, é só comprar mais cerveja", pode ser que fique frustrado ao ver 10 pessoas em sua sala com apenas quatro porções para servir.

   2. CARDÁPIO: Se todos confirmaram presença, pense no que vai servir. Leve em conta se há algum vegetariano no grupo, intolerante a lactose ou qualquer outra restrição alimentar. Não é preciso preparar um almoço de oito pratos como fazia sua avó. Pense em uma refeição simples, mas em várias etapas, para que se possa ficar muito tempo à mesa. Para não se atrapalhar no fogão, apenas o prato principal deve ser quente. No verão, as pessoas ficarão felizes em ver pratos frios à mesa. Atenha-se à culinária mediterrânea, que está repleta de pratos fáceis e saborosos, de poucos ingredientes. Dê preferência a pratos que possam ser preparados com antecedência, para que você não fique louco de ansiedade no dia D.

   3. BEBIDAS: Não exagere nas bebidas alcóolicas. Se for servir cerveja, pense em 3 longnecks por pessoa, no máximo. Destilados, apenas como aperitivo, e uma dose só. Você não quer gente bêbada à mesa e isso não é um churrasco de faculdade. Tenha sempre água mineral na geladeira e uma ou duas opções de suco ou refrigerante, caso as pessoas recusem a bebida alcoólica. Para quatro pessoas, duas garrafas de vinho bastam, caso essa seja a opção (lembre-se de que o certo é servir no máximo meia taça por vez, é feio encher o copo até a boca).

   4. DECORAÇÃO: A única coisa que você tem de fazer é LIMPAR SUA CASA DE FIO A PAVIO. Nada pior do que apoiar a mão na pia da cozinha e senti-la engordurada, ou espirrar por causa do pó do sofá. Receber gente com a casa bonita é um sinal de que s visita é importante para você. Na hora de montar a mesa, use uma toalha bonita, ou jogos americanos que não estejam manchados. Não tem importância usar guardanapos de papel. Ninguém está tentando se passar por algo que não é. Se sua mesa comportar, compre um vasinho de flores bem baixinho com pouco perfume (para não ficar na cara de ninguém e não ficar enjoativo) e coloque no centro. Abra bem as janelas da casa de manhã para o sol entrar, acenda um incenso para perfumar a casa e escolha algumas músicas gostosas e suaves para tocarem durante o almoço.

   5. PÃO: não pode faltar, do começo ao fim da refeição. No domingo de manhã, vá até a padaria e compre pães quentinhos para ficarem à mesa. Pode ser uma mistura de pãezinhos de couvert, pães de queijo, ou simplesmente pão francês e/ou italiano fatiado e deixado em uma tigela ou cestinha no meio da mesa.

   6. ANTIPASTO: Sirva duas ou mais opções de petisco para quando seus convidados chegarem. Isso evita aquele olhar perdido de pessoas sem nada para fazer enquanto não chegam todos, além de abrir o apetite. Não é preciso retirá-los ao se sentarem: as pessoas quererão continuar beliscando entre um prato e outro e mesmo após. Não tenha a menor vergonha de, no sábado, ir até a delicatessen ou rotisserie de confiança e comprar antipasti prontos. O que importa é que sejam apetitosos. Ou então, simplesmente corte em cubinhos o queijo de sua preferência e sirva com azeitonas sem caroço, assim, sem tempero mesmo. Precisa mais do que isso?

   7. ENTRADA: Uma salada é a opção mais fácil, e limpa o paladar entre o antipasto e o prato principal. Os italianos costumam comer a salada no final, mas é difícil incutir esse costume aqui. Particularmente, não gosto quando são servidos alface de um lado, tomate do outro, cenoura ralada e o azeite na sua frente. Ninguém come, porque não tem gosto. Compre um pacote de folhas variadas, tempere com uma mistura de limão, azeite, sal e pimenta-do-reino e cubra com croûtons de alho comprados prontos. Impossível ser mais simples. Coloque em uma saladeira bonita e leve à mesa, ou arrume nos pratos em porções pequenas, quase do tamanho de um acompanhamento.

   8. PRATO PRINCIPAL: Não se complique. Um bom spaghetti al sugo, se preparado direito e com carinho, será melhor do que qualquer prato sofisticado preparado por alguém sem experiência. Seus amigos estarão mais encantados com o fato de você cozinhar para eles do que com o resultado em si. Não tente impressionar, seja fiel a você mesmo. Lasagne são fáceis de se preparar, porque, dependendo da receita, é apenas uma questão de montar três ou quatro ingredientes comprados prontos. E você pode fazê~la com a maior calma do mundo, cobri-la com filme plástico e deixá-la na geladeira, para assá-la em vinte minutos no dia seguinte. Caso mesmo isso o assuste por enquanto, não cancele seu almoço: dê outro pulo à rotisserie e compre-a pronta (mas fresca! Não valem essas congeladas de supermercado, que são intragáveis e salgadas como o mar de Santos), ou mesmo um frango assado com farofa, a escolha é sua. Pergunte ao balconista a melhor forma de esquentá-lo em casa, e bom almoço!

   9. SOBREMESA: Novamente, mantenha-se simples. Sorvete ou aquela torta de limão da sua padaria preferida sempre fazem sucesso. Evite bolos ou doces muito pesados e dê preferência a uma sobremesa mais refrescante. Uma boa pedida é deixar alguns cachos de uva na mesa junto com os doces. Eles desaparecerão rapidinho. Se quiser dar uma de italiano, sirva um belo pedaço de parmesão também. Além de ajudar na digestão e terminar de dar a sensação de saciedade, estudos revelam que seu consumo após as refeições ajuda a previnir cáries e placa bacteriana.

  10. CAFÉ: Um cafézinho tirado na hora não pode faltar. Você não tem uma cafeteira? Vá ao supermercado e compre um funil de plástico para café e filtros de papel. A melhor solução para quem só toma café quando tem visita e não quer gastar dinheiro. Chame todos para tomar café no sofá, para estender a conversa. Dê alguns minutinhos e, se você tiver um licor gostoso dando sopa, essa é a hora de servi-lo.

  11. CHÁ: Se já se passaram horas desde que o almoço aconteceu e o papo continua muito bom, ofereça um chá (tenha à mão umas três opções). É digestivo e, se você estiver querendo acabar com a festa sem ser mal educado (porque afinal, tem que tocar sua vida), o chá quentinho terminará de deixar todos sonolentos, e seus convidados imediatamente lembrarão que suas camas os esperam em casa.

 

Amanhá irei receber uns amigos aqui em casa preparando as seguintes receitas:




Filé ao molho de vinho
Prato acompanha risoto de parmesão


Simples de fazer, o filé ao molho de vinho com risoto enche a mesa de requinte.




Ingredientes
Rendimento: 1 porção

200 g de filé mignon, cortado como medalhão
4 col. (sopa) de vinho tinto
3 col. (sopa) de molho roty*
½ xíc. de arroz para risoto
¼ de 1 cebola
3 col. (sopa) de vinho branco
4 xíc. de caldo de galinha
20 g de parmesão
1 col. (sopa) de manteiga
sal, pimentado-reino e azeite a gosto


Modo de Preparo
Doure os filés, em fogo médio, por cinco minutos de cada lado. Retire-os e jogue o vinho tinto na frigideira. Espere reduzir pela metade, acrescente o roty e misture bem.

Risoto: doure a cebola no azeite, acrescente o arroz e frite-o por alguns segundos. Junte o vinho branco e deixe evaporar. Vá acrescentando o caldo de galinha aos poucos e mexendo sempre, até chegar no ponto de cozimento ideal (18 minutos). Junte a manteiga e o parmesão.

RECEITA DO RESTAURANTE OSTERIA DON BOSEGGIA 

Já para a sobremesa, vou preparar a minha preferida... Tiramissu, cuja receita você encontra aqui.

Marcadores: ,