<META content="MSHTML 6.00.2900.2604" name=GENERATOR><!-- --><style type="text/css">@import url(https://www.blogger.com/static/v1/v-css/navbar/3334278262-classic.css); div.b-mobile {display:none;} </style> </HEAD><BODY><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d8940721423393911285\x26blogName\x3dCoisas+de+uma+Chef\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://coisasdeumachef.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_BR\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://coisasdeumachef.blogspot.com/\x26vt\x3d8704643840310654996', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
quarta-feira, 29 de dezembro de 2010
Nhoque da sorte



Com o ano chegando ao fim, cresce a busca por simpatias para atrair sorte, amor e dinheiro para o próximo ano. Sorte e amor eu não sei...Mas se o caso for dinheiro, que tal preparar hoje, dia 29 o Nhoque da Sorte? Esta é uma simpatia para ser feita no dia 29 de cada mês. Entâo, por que não começar hoje?



A simpatia é simples: coloca-se uma nota de qualquer valor sob o prato com nhoque. Pode ser dólar, real ou qualquer moeda estrangeira. Em seguida fique de pé e concentre-se para iniciar o ritual. No prato, separe sete nhoques e coma um a um. Para cada nhoque, faça um pedido diferente. Depois, sente-se e saboreie o restante do prato, de preferência com um bom vinho italiano. O dinheiro colocado sob o prato deve ficar guardado até o próximo dia 29, para garantir a fartura. Outros dizem que deve ser dado a alguém que necessite ou usado quando for feita nova simpatia.





Os adeptos do nhoque da sorte informam que ele surgiu na Itália, terra natal do prato; os incrédulos afirmam que nasceu na América do Sul, como estratégia de restaurantes que precisavam aumentar a clientela. A origem do costume é explicada com uma lenda que possui variações. A mais freqüente conta que um frade andarilho chegou a uma pequena localidade italiana e bateu à porta de um casal de velhinhos, num dia 29. Pediu um prato de comida e recebeu o único alimento que havia: nhoque. Tempos depois, voltou ao local e contou aos velhinhos que, após comer aquele prato, sua vida mudara para melhor.



O simpático costume de comer nhoque no dia 29 poder ser recente, mas a história do prato é bastante antiga. Foi certamente o primeiro tipo de massa caseira - apesar do renomado gastrônomo Pellegrino Artusi, autor do clássico italiano A Ciência na Cozinha e a Arte de Comer Bem, publicado em 1891, não o enquadrar nessa categoria. O espaguete, o ravióli e companhia são posteriores. Supõe-se que o nhoque exista desde os antigos gregos e romanos.



Na Itália, chamaram-no primeiramente de macarrão. Na Idade Média, porém, já era conhecido com o nome atual. Em português, escreve-se nhoque. Fica parecendo vocábulo de ascendência tupi-guarani. Em italiano, grafa-se "gnocchi". O sociólogo paulista Gabriel Bolaffi, no livro A Saga da Comida, lançado em 2000, diz significar "algo como pelota, isto é, uma pelotinha de farinha amassada com água".



Mudando conforme os ingredientes da massa e do molho, o nhoque começou a ser elaborado com várias farinhas, sobretudo de trigo, arroz e inclusive com miolo de pão. Misturadas com água, temperadas com sal e cozidas na água, propiciaram alimentos substanciosos. Anos depois, a massa foi enriquecida com espinafre, queijo, castanha, carne ou peixe. Após a introdução do milho na Itália, em meados do século 16, surgiu o nhoque de polenta. Mas foi a chegada da batata, entre os séculos 16 e 17, que mudou a história do prato.



Tornou-se seu ingrediente supremo, embora continuem prestigiados os nhoques de farinha de trigo e semolina. Os sicilianos criaram uma receita exemplar. Seu nhoque mais famoso usa farinha de trigo, ricota de ovelha; no molho, uva passa, manjericão fresco e "pinoli". A receita dos romanos leva semolina, cozinha no leite e vai ao forno com queijo parmesão.



No passado, o nhoque era uma preparação característica das cozinhas do norte e centro da Itália. Hoje, caiu em domínio nacional. Venceu até a resistência dos napolitanos, adeptos irredutíveis do espaguete e outras massas de fio longo. Alastrou-se aos países vizinhos. Na Alemanha existe um prato assemelhado. É o "spätzle", que acompanha caça ou carne assada. Também é preparado gratinado e servido em sopas. A Hungria repete a receita, mudando o nome para "galuska", que se harmoniza com o "goulash", um ensopado de carne conhecido desde o século 9.º. Ambos são feitos com farinha de trigo.



Em qualquer receita, a massa também comporta recheios. O ingrediente mais comum é o queijo. Na região italiana do Friuli, coloca-se uma ameixa dentro do nhoque gigante de batata. Essa curiosa combinação é atribuída à influência da vizinha Áustria. Elaborações cortadas em fragmentos arredondados, frutos secos como a noz, amêndoa, castanha e avelã, sementes de frutas frescas como a romã, o bago da uva, cereais como a lentilha, alimentam o corpo e espírito em diversas culturas. Não por acaso são comidas de bom augúrio na passagem do ano.



Mas voltando à simpatia... Muitos acreditam na simpatia do nhoque da fortuna, que, a cada mês tem mais simpatizantes, seja pela esperança ou pela oportunidade de partilhar com amigos este momento de ilusão.



Que tal entrar na onda e preparar a saborosa receita abaixo? Foi com ela que a Chef Alessandra Rangel ganhou o concurso Terra de Minas.




Nhoque de Abóbora ao Molho de Linguiça Caipira Flambada na Cachaça

 

Ingredientes da massa:

300g de abóbora moranga
300g de batata asterix
1 ovo
1 colher (sopa) de manteiga
Sal e pimenta do reino quanto baste
300g de farinha de trigo aproximadamente


Ingredientes do molho:

500g de linguiça de lombo picada
300g de tomate pelatti
1 dente de alho picado
Pimenta calabresa seca
Azeite
Manjericão
200g de cogumelo
200ml de creme de leite fresco
Queijo minas curado ralado
50ml de cachaça


Modo de preparo:

Lavar a abóbora e as batatas, fatiar a abóbora e levar ao forno regada com azeite e sal, levar a batata ao forno também até ficar cozida, coberta com papel aluminio. Enquanto isso faça o molho: refogue o alho no azeite e coloque a linguiça esmigalhada sem a pele e sem a gordura, deixe fritar, logo depois coloque a cachaça e deixe flambar, acrescente os tomates, o manjericão e deixe apurar. Depois coloque a pimenta calabresa e o cogumelo, finalize com o creme de leite e misture ao nhoque, salpique o queijo minas ralado. Depois de cozida a moranga e a batata retire a casca e passe no espremedor, adicione o ovo, a manteiga e a farinha de trigo até o ponto de enrrolar. Coloque em uma panela água e deixe ferver, vá colocando as bolinhas de nhoque e quando elas subirem pode retirar e guarnecer com o molho.

 

Rendimento: 6 porções



















Marcadores: ,








segunda-feira, 27 de dezembro de 2010
Cervejaria Backer inaugura duas casas



A cervejaria Backer  inaugurou duas novas casas na capital mineira: a Estação Backer, no Shopping Del Rey, e o Bar Backer, no Mercado Central.

Todos os produtos Backer, que são fabricada em Minas Gerais, há 11 anos, estão disponíveis para os clientes nesses dois novos pontos de comercialização, sendo eles: cervejas long neck – pilsen, trigo, pale ale e brown. A cerveja Blond Ale Medieval, lançada recentemente, também estará à disposição da clientela.

Para os que preferem os chopes, não faltarão opções. Ambos os bares têm a oferecer os chopes Cristal, trigo, black e ferrugem (harmonização do chope cristal com o chope black). E também uma grande variedade de souvenirs como copos, taças, canecas, bolachas, camisetas, boné, avental, e kits para presentes com produtos Backer.

Os coquetéis de cervejas são os destaques nos Quiosques Backer, como o Coquetel da Mulata (chope cristal com cerveja de chocolate) e o Coquetel da Ruiva (chope cristal com cerveja pale ale).

No Mercado Central de BH, o grande diferencial do Bar Backer são os tradicionais e saborosos tira-gostos do mercado, que foram repaginados e são oferecidos aos clientes com um toque mais contemporâneo.

Vale muito a pena conhecer!








Marcadores: ,








sexta-feira, 24 de dezembro de 2010
Cervejas especiais ganham espaço no mercado mineiro



A preferência pelo consumo de cervejas especiais vem aumentando no estado. A tradicional cerveja Pilsen, divide seu espaço com as geladas gringas, como alemãs, belgas e inglesas. Algumas loiras, outras escuras e até ruivas, elas entram em um mercado ainda restrito, mas de sucesso.
O termo cerveja especial não representa o estilo da cerveja, porém, trata-se de um produto diferenciado, sendo, principalmente, as importadas e artesanais. Em sua maioria, estas cervejas utilizam matérias primas de melhor qualidade, com nenhum ou poucos aditivos químicos.

O mercado de cervejas especiais é crescente e único. Atualmente as cervejas especiais fazem parte de um nicho em crescimento e com um padrão de qualidade altíssimo.


O nível da bebida fabricada no estado não passa por intempérie de deslocamento e produção. Minas tem hoje um produto que acompanha a qualidade das bebidas importadas, com padrão europeu.

O Brasil se tornou um grande produtor dessas bebidas. Em Minas Gerais, as gôndolas dos bons supermercados contam com mais de 300 rótulos de várias marcas e tipos. O mercado cervejeiro mineiro é primeiro em diversidade hoje e o segundo em volume, ficando atrás apenas do Rio Grande do Sul.

 

Na hora da escolha, alguns tipos se destacam pela cor, sabor e teor alcoólico. As especiais do tipo Bock e Stout são escuras e harmonizam com as temperaturas baixas do inverno, por terem um sabor mais forte e encorpado. A loirinha do tipo Weiss, é mais densa porque é feita de trigo, tem alta fermentação e teor alcoólico médio. A do tipo Pale Ale (cerveja clara de alta fermentação), especialmente popular nos pubs ingleses e na Irlanda, também desembarcou no território mineiro e mostra que veio para ficar.


 








Marcadores:








segunda-feira, 20 de dezembro de 2010
A Itália agora ficou pertinho dos mineiros





A Itália agora ficou mais perto. Para apreciar os maravilhosos embutidos do País da bota, não é necessário pôr as "botas de fora". Bem aqui, em Minas, ro gastronômo Carlos Chiari produz no autêntico estilo italiano, os deliciosos PROSCIUTTO CRUDO entre outras iguarias defumadas.

Tudo é feito na Chácara CHIARI, de forma minunciosa, num sistema de alta tecnologia que garante a excelência de seus produtos. O resultado são  produtos de alta qualidade, com sabor delicado de ervas e especiarias, com a tradição de Parma, na região da Emilia-Romanha.

Foram anos de pesquisa e experimentos, além de visitas a produtores na Itália, até que Carlos Chiari chegasse à excelência da salumeria que mantém na Chácara Chiari, na Pampulha. Entre as maravilhas produzidas por ele estão: o prosciutto crudo, o speck, o culatello , o capocollo e os salames italiano e milano.

Para conhecer o processo de fabricação é preciso agendar visitas, feitas sempre nas terças, quartas e quintas-feiras, após as 19:30h. Os visitantes fazem um tour, com a supervisão do próprio Chiari, finalizando dentro da sala de cura dos presuntos italianos. Depois, vem a degustação com pães e azeite de oliva, harmonizados com vinhos ou cervejas especiais.

Um programa que super recomendo!


Marcadores: , ,








sábado, 18 de dezembro de 2010
Um pouco sobre quiches



Embora a quiche seja um prato tradicional da culinária francesa, sua origem é alemã, do reino medieval de Lothringen.

A palavra "quiche" vem do alemão "kuchen", que significa torta.

Mais tarde os franceses o batizaram de Lorraine. A quiche Lorraine original nasceu no século XVI e era uma torta aberta recheada com creme feito de leite e ovos acrescido de bacon defumado. Somente depois foi acrescentado queijo à quiche Lorraine. Adicionando cebolas obtém-se a quiche Alsaciana.

A quiche se tornou popular na Inglaterra logo após a Segunda Guerra Mundial e nos Estados Unidos, na década de 1950. Hoje pode-se encontrar uma grande variedade de quiches, desde a original quiche Lorraine, até aqueles com alho-poró, champignon, espinafre e mesmo peixes, como o salmão.

O nome "quiche" ficou para todas as tortas doces e salgadas feitas no formato da quiche lorraine e com a massa "podre" ou esfarelada que, na gastronomia francesa, recebe o nome de "pâte brisée" quando salgada e "patê sucrée" quando doce.
 





Quiche lorraine

Para a massa:

- 1 1/2 xícara (chá) de farinha de trigo

- 1 pitada de sa

- 1 pitada de açúcar

- 100 g de manteiga em cubinhos gelada

- 1 ovo

 
Para o recheio:

- 250 g de bacon em fatias

- 3 ovos

- 500 ml de creme de leite fresco

- Sal, pimenta-do-reino, noz-moscada ralada a gosto

- 100 g de queijo tipo parmesão ralado

- 2 xícaras (chá) de queijo prato ralado (200g)

Modo de Preparo


Misture 1 1/2 xícara (chá) de farinha de trigo com 1 pitada de sal e 1 pitada de açúcar. Junte 100 g de manteiga em cubinhos gelada até formar uma farofa grossa. Acrescente 1 ovo, sove a massa até que forme uma bola e não grude nas mãos.

Embrulhe em papel filme e coloque na geladeira por 15 min.
 
Retire a massa da geladeira. Coloque a massa dentro de um saco plástico e abra com um rolo. Forre o fundo e a lateral de uma forma de aro removível de 22 cm de diâmetro, com papel-manteiga,e cubra com feijões.
Leve ao forno médio pré-aquecido (180ºC) por cerca de 25 min.
Retire os feijões e deixe esfriar.

Doure 250 g de bacon em fatias no microondas ou numa frigideira.
Seque em papel absorvente e pique grosseiramente.
Reserve.

Bata 3 ovos e adicione 500 ml de creme de leite fresco, tempere com sal, pimenta-do-reino e noz-moscada ralada a gosto.
Acrescente 100 g de queijo parmesão ralado, 2 xícaras (chá) de queijo prato ralado e as fatias de bacon. Misture bem.



Cubra a massa com o recheio e asse em forno médio pré-aquecido
(180ºC) por 40 min. Sirva com salada verde.

 
Quiche de Cogumelos e Alho Porró

Ingredientes:

Massa

200 gramas de farinha
125 gramas de manteiga light
água morna q.b

Recheio

sal e pimenta a gosto

azeite

3 alhos franceses

1 cebola

200 gramas de requeijão magro

1 chávena de chá de leite magro

100 gramas de cogumelos

50 gramas de milho

3 ovos
2 colheres de sopa de azeite
1 colher de sopa de amido de milho

Preparo:

Misture a farinha com a manteiga. Junte-lhe um pouco de água morna e mexa até obter uma massa homogénea.

Coloque numa forma de tarte espalhando bem no fundo e nos lados. Reserve.
 
Coloque o azeite numa frigideira com a cebola e os cogumelos refogue um pouco. Junte-lhes os alhos franceses cortados em rodelas finas e salteios até que fiquem moles. Por fim junte o milho cozido e envolva tudo.

Reserve. Forre uma forma com a massa.

Coloque o recheio preparado no fundo da forma. Num recipiente bata os ovos, junte o requeijão esfarelado, o sal, pimenta, o amido de milho e o leite, bata tudo muito bem e verta em cima do preparado anterior.

Leve ao forno para assar, em temperatura média (180 graus) durante aproximadamente 30 minutos, ou até o recheio ficar firme e assado.

Espere arrefecer e desenforme. Sirva quente ou frio.









 
 




Marcadores: ,








sexta-feira, 17 de dezembro de 2010
Hora de pensar na ceia de Natal




Os alimentos usados na ceia de Natal, (ou no almoço, se este é comemorado dia 25), sofrem alterações consoante o país, ou até mesmo a tradição passada ao longo de várias gerações de uma família. No entanto, para quem segue o critério mais tradicional, alguns pratos e ingredientes que simbolizam a ocasião, não devem faltar. Entretanto, toda e qualquer inovação criativa é permitida, desde que se mantenha o espírito natalino, e que ao preparar esta ocasião, cada gesto esteja repleto de sentimentos generosos, e impregnado do significado do momento.





A sala já deve estar decorada com os símbolos tradicionais, dando ao ambiente uma aura de confraternização, paz e harmonia, envolvida na boa energia que se intensifica nesta ocasião.Chegou a hora de preparar a mesa, fazendo dela um convite ao paladar, onde se deve primar pelo visual colorido e convidativo, tomando cuidado com qualquer tipo de exagero.

A TOALHA

° Esta pode ser colorida, com motivos de Natal.

° Cubra a mesa com uma toalha vermelha, usando guardanapos da mesma cor, brancos ou verdes.

° Pode optar por uma toalha verde, e usar enfeites ou jogos de pratos com detalhes em verde, vermelho ou dourado.

° Use uma toalha branca com detalhes dourados, e depois quebre o branco com arranjos ou jogos de pratos coloridos.

° O ideal é que os tons da mesa combinem como resto da decoração ou da árvore de Natal.

O JOGO DE PRATOS

° Pratos brancos são os mais versáteis, podendo combinar com qualquer que tenha sido a toalha escolhida. Os oitavados, de porcelana branca, lisa, ficam muito bem.

° Se você tiver um aparelho de jantar com detalhes dourados, coloque-o apenas se quiser dar à mesa um ar sofisticado, e nesse caso, copos e talheres devem também ter algum detalhe dourado.

° É preciso tomar cuidado com pratos coloridos, para que as cores não sobrecarreguem a decoração. Evite tons pasteis. O verde e vermelho vivos são as cores mais indicadas.

° Você pode usar suplats desde que estes combinem como resto da decoração.

OS COPOS

° Use de preferência taças, pois a ocasião merece este detalhe de requinte, mesmo que a refeição seja envolvida num clima de descontração. Estas devem ser de vidro incolor, ou se permitirem a detalhes dourados. Taças em degradé sépia também são apropriadas, desde que os pratos sejam brancos ou com detalhes dourados.

OS TALHERES

° Nada contra talheres dourados, aliás, tudo a favor, desde que o estilo dos pratos os acompanhem. No caso de toalha branca com detalhes dourados, este tipo de talher é o mais indicado.

° Se a mesa não tem dourado, ou se esta cor se restringe aos arranjos, talheres de inox ou de prata se tornam a melhor opção.

OS GUARDANAPOS

° Use sempre guardanapos de pano.

° Se a toalha for branca com detalhes dourados, os guardanapos devem ser brancos, (no máximo com detalhes dourados), ou sépia, no caso dos copos acompanharem este tom, em degrade.

° Se a toalha for totalmente branca, você poderá optar por guardanapos brancos, vermelhos ou verdes, desde que combinem com o resto dos utensílios.

° Se a toalha for vermelha ou verde, use guardanapos da mesma cor, ou faça uma composição de contrastes.

° Se a toalha for colorida, com motivos de Natal, escolha guardanapos com os mesmos motivos, brancos, vermelhos ou verdes, desde que a cor destes faça parte dos desenhos.

OS ARRANJOS

° Você pode fazer os arranjos, ou comprá-los prontos, próprios para esta ocasião, com pinhas, galhos de pinheiro e bolas. Eles devem ser baixos, para não atrapalhar a visão dos convidados.

° Se a mesa for comprida, coloque dois ou três arranjos de tamanho médio, em distâncias equivalentes.

° Um arranjo de flores vermelhas, (língua de vaca ou antúrios vermelhos), também se encaixa perfeitamente.

AS VELAS

° Um ou dois castiçais, (dependendo do tamanho e formato da mesa), com velas compridas, numa cor que combine como resto da decoração, são permitidos.

° Para que a comunicação dos convidados não sofra interferências no campo de visão, o ideal são velas grossas e baixas, ou recipientes de vidro transparente, com água e pequenas velas em formato de estrela, boiando.

OBS: As dicas aqui fornecidas servem apenas para orientá-la(o), pois o gosto de cada um é pessoal, e a criatividade não tem limites.

OS ALIMENTOS

° Reserve duas mesas para o buffet, uma maior para as comidas, e uma menor para as bebidas.

° Não coloque flores na mesa do buffet, em vez disso, você pode optar por velas, sejam elas em castiçais ou em arranjos baixos.

Na mesa maior arrume da seguinte forma, (da esquerda para a direita):

° Pratos grandes

° Terrinas para o consume ou coquetel (dependendo da entrada, ela já deve vir arrumada em prato individual).

° Pratos de sobremesa.Os pratos para a entrada já devem estar na mesa, sobre o do prato principal.

° Saladas, entradas, ou consumê

OBS: Os pratos quentes (com os respectivos acompanhamentos), devem ser colocados (de preferência em rechauds ou bandejas térmicas, para que os alimentos não esfriem), devem ser colocados ao término da salada ou entrada.

Na mesa menor coloque as garrafas, jarras com suco e água, baldes com gelo para os vinhos e champagne.

Ao término da refeição ;

° Substitua as bebidas anteriores por licores e conhaque, ou continue com o champagne.

° Coloque garrafas térmicas ou bules com café

° Substitua os copos anteriores por cálices para licor e para conhaque

° Coloque pires e xícaras de café (o conjunto já deve estar arrumado)

° Coloque colheres para mexer o café

° Coloque os açúcares, adoçantes e cremes

OBS: Se você dispuser apenas de uma mesa auxiliar, siga a mesma ordem, começando pela da mesa menor.

° Espalhe pelas mesas de centro, (e/ou laterais), tacinhas com frutas secas.

° Enquanto aguarda a chegada de todos, pode servir um drink que será acompanhado pelas frutas secas,.(não sirva canapés, para que o apetite não seja comprometido).

MONTE À MESA SEGUINDO O ESQUEMA ABAIXO:



ENTRADA

Opte por um dos itens abaixo, mas esteja atenta(o) para que sejam compostos por ingredientes leves, assim o apetite para o prato principal não será comprometido

° Saladas de folhas verdes (estas são sempre bem vindas, pois são ricas em fibras, água e vitaminas ,nutrientes que irão forrar o estômago e inibir a absorção de gordura)

° Terrines

° Coquetéis

 

PRATO PRINCIPAL (PEIXE)

Escolha uma das opções abaixo:

° Um prato que tenha o bacalhau como ingrediente principal (mas verifique antes se todos comem este tipo de peixe).

° Um peixe assado, acompanhado de batatas também assadas, ou de arroz de passas, (que servirá também para acompanhar as carnes).

° Um guisado de peixe ou frutos do mar, (neste caso, o ideal é acompanhar com arroz branco).

° Peixe ou frutos do mar gratinados.


PRATO PRINCIPAL (CARNE)

Peru, pernil ou tender, são alimentos quase que obrigatórios para esta ocasião.

ACOMPANHAMENTOS

Se não quiser servir todos os acompanhamentos aqui sugeridos, escolha pelo menos dois.

° Farofa, (use a tradicional, ou dê-lhe um toque pessoal).

° Salada de maionese.

° Arroz branco.

° Arroz de passas, ou com ervas, (dependendo do prato principal).

°Batatas assadas, gratinadas, batata sauté, ou ainda batata palha.

SOBREMESA

Você deve oferecer dois tipos de sobremesa, além das frutas naturais, como ameixa, pêssego, uva, melão, (que no caso já deve estar cortado, apenas conservando a casca).

° Rabanadas são típicas desta ocasião.

° Mousses.

° Tortas.

° Sorvetes com calda, (no caso ofereça dois tipos de calda).

° Pavês.

 

° Você pode acompanhar toda a refeição com o mesmo champagne, começando pelo mais suave, terminando com o mais encorpado, apenas tomando cuidado na hora de servir a sobremesa, pois nem todas se adequam a este.

° Um bom vinho sempre é bem vindo..

° Refrigerante ou suco natural de frutas, é uma opção para quem não toma bebidas alcoólicas.

° A água sempre deve estar presente




































































quarta-feira, 15 de dezembro de 2010
Batatinha frita, um,dois,três!


Quem náo gosta de batata?! Frita, cozida, assada, batata é sempre uma delícia! Mas vocês já perceberam que algumas vezes uma simples batata frita fica meio esquesita? Ou um purê parece estar meio seco? é que para cada tipo de preparo existe um tipo de batata indicado.

Originária do Peru ou do Chile, a batata, também conhecida como batatinha ou batata-inglesa, é uma planta da família das Solanáceas, muito apreciada por seus tubérculos comestíveis, alimento contemporâneo mais usado nas mesas européias e americanas.

A batata já era cultivada de 4 mil a 7 mil anos nos Andes. Em meados do século XVI ela chegou na Europa trazida pelas mãos do desbravador espanhol Francisco Pizarro divulgada por todo o continente pelo navegador e corsário inglês Francis Drake. Apesar da facilidade de cultivo, a batata não teve boa acolhida pela população.


Aprendendo a escolher a batata certa


O que não falta são as variedades das batata. Só no Brasil são mais  de 100 e no mundo todo existem mais de 600. Cada variedade de batata possui características especiais, daí a importância de identificá-las e usar de forma correta. Cada preparação exige uma variedade.

A seguir conheça os diversos tipos de batata, com suas diferentes caracteristicas de casca,polpa, cor e consistência, com seu melhor uso.

Batata Atlantic


Tipo: Atlantic

Forma: Redonda

Polpa: Branca

Melhor uso:Fritar

A batata ideal para chips deve ser redonda, pele branca, polpa branca. Se imaginarmos uma batata com estas características, chegaremos a  variedade, ATLANTIC. Assim como no Brasil, é o padrão para batata chips em todo o mundo.

Batata Araucária


TIPO: Araucária

Forma: Alongada

Polpa: Amarela

Melhor uso:Cozinhar,Assar

Batata Asterix

TIPO: Asterix

Forma: Oval alongada

Polpa: Amarela Clara

Melhor uso:Fritar

A batata Asterix é rosinha por fora e é perfeita pra fazermos batata frita em rodelas. Ela fica super sequinha e crocante. Mas pAra batatas em palito, a 'inglesa' ainda é a melhor.


Batata Baraka



TIPO: Baraka

Forma: Oval

Polpa: Amarela Clara

Melhor uso: Cozinhar, Assar, Fritar
A batata Baraka, tem origem holandesa.Apresentam casca lisa amarelada e polpa de coloração creme. Uma das vantagens para o produtor é a grande produtividade e para a indústria, o alto teor de matéria seca, boa para féculas, batata palito pré-frita, palha ou chips. Tais características fazem dela ótima escolha também para o consumidor que quer batata para fritar: ela fica clara, crocante, não encharca. Pode ser, ainda, assada e usada em sopas, purês, nhoques e pães salgados. Como tem sabor neutro, entra finalmente em doces, bolos e pudins.


Batata Bintje

TIPO: Bintje

Forma: Alongada

Polpa: Amarela Clara
Melhor uso: Cozinhar, Assar, Fritar

Batata Elvira


TIPO: Elvira

Forma: Alongada

Polpa: Amarela
Melhor uso: Cozinhar, Assar

Batata Monalisa



TIPO: Monalisa

Forma: Oval alongada

Polpa: Amarela Clara

Melhor uso: Cozinhar, Assar

Batata Mondial



TIPO: Mondial

Forma: Alongada

Polpa: Amarela Clara
Melhor uso: Cozinhar, Assar

Abaixo alguns pratos clássicos à base de batatas:




BATATA FRITA

Silvio Lancellotti, em "O livro da Cozinha Clássica", diz que fritar batatas, entretanto, exige mais habilidade e/ou mais paciência do que parece. E ele passa adiante o método ideal. Da próxima vez que for fazer uma batatinha frita, experimente esse "método ideal".


Ingredientes:

- 100 g de batata do tipo Binje;

- água fervente, previamente salgada;

- óleo de milho, bem quente.

Modo de preparar:

Corte as batatas, em rodelas, ou palitos, de tamanhos e espessuras precisamente iguais. Banhe na água, por cerca de segundos. Retire. Escorra e seque meticulosamente. Coloque no óleo, separando e revirando com a escumadeira até atingir o pronto desejado.



BATATA ROSTI

Originária da Suíça, a batata rosti ou batata suiça – ralada e crocante por fora e interior macio – foi criada como uma guarnição para acompanhar assados em geral. No Brasil, assumiu status de prato principal e ganhou os mais diversos recheios.

Ingredientes:

- 1 kg de batata

- 250 g de bacon

- 150 g de queijo Gruyère

- 5 g de sal

- 2 g de pimenta-do-reino

- 150 g de Catupiry (opcional) ou outro recheio de sua preferência.


Modo de preparar:

Ferva as batatas com casca, deixe-as bem firmes, quase cruas. Fite o bacon em cubos pequenos e reserve a gordura. Descasque as batatas e passe no ralador (na parte grossa). Acrescente o bacon, o queijo Gruyère, o sal e a pimenta. Frite na gordura do bacon em uma frigideira bem quente T-fal. E, recheie com o Catupiry, ou a sua outra opção escolhida.

BATATA DUCHESSE 


Ingredientes:

- 450 g de batata descascada e cozida

- 50 g de manteiga

- 2 gemas

- sal,

- pimenta-do-reino

- noz moscada, a gosto

- saco de confeitar

Modo de preparar:

Descasque as batatas e coloque-as numa panela com água e ferva. Acrescente sal e deixe as batatas cozinharem até que fiquem macias. Escorra a água das batatas e passe-as por um espremedor. Adicione a manteiga e as gemas e mexa bem. Acrescente os temperos e remexa. Coloque o preparado de batata num saco para confeitar. Escolha um bico com um buraco grande. Ligue o forno em temperatura média (180 graus).

Unte uma assadeira com manteiga e farinha de trigo. Faça pequenos merengues. Leve a assadeira ao forno pré-aquecido e deixe-os por cerca de 30 minutos ou até que a superfície comece a dourar. Retire do forno e sirva a seguir.











domingo, 12 de dezembro de 2010
Alta gastronomia também no BBB



Tem muita gente que diz náo gostar do Big Brother Brasil. Eu confesso que adoro! As festas entáo me deixam maluca, pois os cardápios sáo sensacionais! Isto sem falar na decoraçáo.

É por isso que enquanto os novos habitantes da casa mais vigiada do Brasil náo sáo escolhidos, decidi recordar uma das festas desse ano que mais me marcou. A festa Chili Beans.





A decoraçáo estava linda. Na varanda, estantes com vários modelos de óculos, relógios e bonés ficaram à disposição da turma. A pimenta foi o tema da noite, invadindo as estampas de pufes, futtons e painéis.




Uma pimenta inflável gigante foi colocada no canto do jardim. No teto, vários balões, também em formato de pimenta, derão mais brilho à decoração. A trilha sonora foi garantida por dez DJs, que se revezaram nas picapes.



O cardapio foi tudo de bom!




Na festa Chilli Beans, a pimenta foi o tempero principal e deu um gostinho especial à maior parte dos pratos servidos. A culinária baiana foi a maior inspiradora deste cardápio. Pimenta de cheiro vermelha e pimenta dedo-de-moça foram alguns dos destaques deste banquete e agradaram em cheio àqueles que gostam de uma comida bem temperada.

 


Mini acarajé; molho de camarão seco com pimenta de cheiro vermelha; vinagrete de tomate verde e pimenta dedo-de-moça; batata-doce cozida





Lombo de porco assado com molho de maçã e acompanhado com geléia de pimenta dedo-de-moça; pirão de peixe; moqueca baiana de cherne; camarão com manga; arroz de coco; mini arroz de hauçá; xinxim de galinha; tapiche de vitelo; feijão tropeiro.





Mini doce de tapioca com baba-de-moça; doce de abóbora Bahia e pimenta dedo-de-moça; mini tartelette de geléia de empuaçu e pimenta dedo-de-moça; ambrosia.

Agora é esperar pelo BBB 11...





Marcadores: