<META content="MSHTML 6.00.2900.2604" name=GENERATOR><!-- --><style type="text/css">@import url(https://www.blogger.com/static/v1/v-css/navbar/3334278262-classic.css); div.b-mobile {display:none;} </style> </HEAD><BODY><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d8940721423393911285\x26blogName\x3dCoisas+de+uma+Chef\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://coisasdeumachef.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_BR\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://coisasdeumachef.blogspot.com/\x26vt\x3d8704643840310654996', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>
domingo, 18 de novembro de 2012
Pão Alentejano





"Falar de Pão Alentejano é falar de algo maior que nós. É falar de um marco da gastronomia portuguesa. É falar da identidade de uma região. É falar de algo que move amores e ódios. É celebrar a cultura portuguesa. Por todos estes motivos e mais alguns, é também um assunto sensível falarmos de uma receita de Pão Alentejano. Não porque esta seja um segredo, mas porque este pão tem uma identidade tão única que torna injusto chamar "Pão Alentejano" a outros pães que nada têm a ver" 



"O pão alentejano é feito com fermento azedo, subtraído à massa de pão que se deixa de um dia para o outro. Com este fermento a massa precisa de 4 a 5 horas para dobrar de volume. A côdea deve ser rija e a crosta grossa, sem brilho, o miolo compacto e há quem misture um pouco de farinha de centeio para lhe dar um tom mais escuro. Conserva-se uma semana sem ganhar bolor.
A massa velha ou massa mãe é iniciada com um isco, trata-se de um processo purista e moroso, que permite controlar melhor a origem dos ingredientes. Para uma explicação detalhada consulte esta publicação do Zine de Pão.

No meu caso abreviei usando fermento de padeiro, a preparação começa 2 dias antes. No dia de cozer o pão, após a levedação da massa basta retirar 150 a 250 g da mesma e guardar para servir de fermento [ou massa mãe] ao próximo. Nos dias em que não quero cozê-lo divido a massa preparada em 5 partes [a olho, sem pesar] e reservo [no congelador] para  fermento dos próximos 5, ou então guardo-a inteira no frigorifico fazendo a fermentação durante a noite, para ir ao forno no dia seguinte."

Fonte aqui:

Ingredientes para 2 pães

1 kg de farinha de trigo
150 a 250 g de massa mãe
20 g de sal [uso 15g]
0,6 l de água


Preparação

Na taça da batedeira desfaça a massa mãe em água morna e depois junte o sal, a farinha e a água[pode não ser necessária a totalidade]. Bata na velocidade um durante 10 minutos. Deve formar-se uma bola em volta do gancho de amassar.Deixe repousar tapado até dobrar de volume[pode demorar até 5 horas]. Retire então a porção de massa[150g a 250g] que servirá de fermento ao próximo pão e reserve no frigorifico.
Para moldar cada pão de cabeça como o da foto, tenda a massa em rectângulo com uma das pontas mais larga que a outra, dobre a ponta mais estreita sobre a outra sem a tapar. Coloque no tabuleiro do forno polvilhado com farinha e tape com um pano limpo.Espere 30 a 40 minutos e leve ao forno aquecido a 250ºC, durante 30 a 40 minutos ou até dourar sem escurecer muito.



Leia mais aqui.


Ver mais aqui


Marcadores: ,








quinta-feira, 8 de novembro de 2012
Hoje é o Stout Day! Já escolheu sua cerveja?



Dizem que os estilos Porter e Stout são praticamente a mesma coisa, até porque um surgiu do outro. Lá pelo século XIV, alguns cervejeiros passaram a fazer algumas cervejas no estilo porter um pouco mais fortes e por isso as batizaram de Stout. Estava assim criado um novo estilo de cerveja que hoje comemora seu segundo dia internacional.

O Brasil tem uma relação meio mítica com o estilo stout, com diversas cervejarias contando histórias de amor e ódio ao lançarem suas filhas ao mundo. A Dado Bier Double Chocolate Stout, cuja receita contava com o delicioso chocolate Copenhagen, foi vetada pelo MAPA devido ao uso de ingredientes animais, o leite em pó, na receita. Já a Colorado Ithaca, que antes de chamava Vintage Black Rapadura, passou por maus bocados antes de conseguir o registro, por isso a escolha propícia do nome.

Outro exemplo é a Bodebrown Perigosa Imperial Milk Stout, cuja distribuição nacional foi realizada depois da escolha via Facebook de quais cidades seriam honradas com um barril dessa preciosidade. A Dum Petroleum foi o último sucesso e unanimidade quando falamos do que é uma Imperial Stout.


Então aproveite o dia, fuja dos clichês e beba uma boa stout brasileira hoje! Qual será sua escolha?



Marcadores: